Seu bebê não quer mamar? O que fazer quando há recusa do peito

7 min


865 shares
Seu bebê não quer mamar

Você esta em uma situação onde seu bebê não quer mamar e recusa seu peito?

Amamentar é uma experiência gratificante para a maioria das mães, apesar das dificuldades. Quando seu bebê não quer mamar e recusa o peito, as preocupações aumentam e ganham uma nova dimensão.

A questão é que nem tudo é o que parece e pequenas greves de mamadas costumam acontecer durante o processo de amamentação e não serem nada grave, passando em alguns dias, principalmente quando causadas por problemas pontuais.

Os recém-nascidos podem ter dificuldades para aprender a mamar e os bebês mais velhos que mamaram bem durante semanas ou meses podem parar repentinamente. Ambas as situações são perturbadoras, mas seja paciente e peça ajuda se você precisar. Converse com seu pediatra ou uma consultora de amamentação para obter assistência e suporte pessoais, principalmente.

Na maioria das vezes você pode encontrar uma solução rápida com alguma informação e continuar amamentando normalmente.

Quando o bebê é recém-nascido

Recém-nascidos podem ter problemas para mamar e recusar o peito principalmente por uma pega inadequada entre outras situações. Alguns dos problemas de amamentação que você pode experimentar com um recém-nascido incluem:

1. Seu bebê esta fazendo a pega errada

Se o seu bebê nasceu e não esta conseguindo fazer a pega adequada, pode chegar um momento em quê, de tanto tentar e não conseguir, ele começa a rejeitar o peito. Na pega errada, a sucção não é eficiente e ele não consegue remover o leite que precisa da mama. O bebê fica com mais fome e frustrado. Veja aqui: como fazer a pega correta para amamentar.

2. Seu bebê é prematuro

Bebês prematuros podem precisar de ajuda para mamar por serem muito pequenos e não estarem totalmente desenvolvidos ainda, fora o tempo que precisam ficar longe da mãe.

Eles tem a boca muito pequena e pode ser que não consigam fazer a pega corretamente até que cresçam um pouco. Além de tudo, podem ter menos disposição e energia para sugar o peito da mãe e por isso dar a impressão que estão recusando o peito.

Enquanto seu bebê não aprendeu ainda amamentar, você pode ir ordenhando seu próprio leite para manter sua produção de leite e poder oferecer seu próprio leite para seu bebê. Veja aqui: Como ordenhar leite materno e aqui: Leite no copo para bebês: o melhor método de alimentação depois do peito

3. Você tem mamilos planos ou invertidos

Ter mamilos planos ou invertidos não tem impede de amamentar. O bebê pega a aréola e não o bico para ordenhar o leite que precisa. No entanto, alguns bebês e algumas mães precisam de ajuda para se sentirem seguros durante a mamada e o bebê conseguir fazer a pega correta.

Estimular seus mamilos ou usar uma bomba de ordenha antes de começar a amamentar, pode ajudar e tornar mais fácil para o seu bebê fazer a pega. Veja aqui: Tipos de mamas na amamentação

4. Seu bebê sofreu uma lesão no nascimento ou possui alguma deficiência

Infelizmente a violência obstétrica é a realidade de muitas mães ainda hoje durante o parto. Se o seu bebê sofreu alguma lesão durante o processo de nascimento.

Quando o bebê lesiona um ombro por exemplo ou passou por um parto difícil e dolorido também para ele, pode não ser capaz de se sentir confortável para mamar. Certifique-se que o bebê esta bem depois do parto.

Incapacidades neurológicas no bebê ou deficiências precisam de acompanhamento de toda a equipe médica do bebê para iniciar o processo de amamentação de forma tranquila.

5. O leite não desceu?

A apojadura pode demorar até 5 dias para acontecer, mas isto não significa que não tenha leite para o bebê, tem o colostro, que ele pode mamar e irá alimentá-lo até lá. Veja aqui: Colostro também é leite

Coloque o bebê para mamar frequentemente ainda que você não perceba a apojadura.

6. Seu bebê está sonolento

Os recém-nascidos tendem a ser muito sonolentos em geral, mas o processo de nascimento e os medicamentos que lhe foram dados durante o parto podem causar ainda mais sonolência do que o normal. A icterícia ou outras doenças podem ter um efeito semelhante. E, claro, se seu bebê está dormindo, ele não está mamando.

Para acordar seu bebê, você pode esfregar seus pés delicadamente para não machucar e de forma mais firme para não ser um carinho que o faça dormir mais. Desenrole o bebê, troque sua fralda antes ou durante a mamada. Continue tentando colocar o bebê na mama com frequência. Felizmente, a sonolência é temporária.

Por que os bebês e as crianças mais velhas podem recusar o peito:

Bebês mais velhos que mamam bem por um tempo às vezes param de mamar com a mesma frequência de antes ou simplesmente negam o peito totalmente e ficam sem mamar por vários dias. Esta interrupção súbita é comumente conhecida como uma “greve de amamentação”.

Razões em quê um bebê maior ou uma criança podem se recusar mamar

1. Seu bebê está com dor?

Se o bebê esta passando pela fase de nascimento dos dentes ou tem alguma infecção de ouvido como otites, pode ser doloroso para ele mamar. A movimentação da musculatura facial durante a mamada pioram o quadro de dor destas situações. Veja aqui: Nascimento dos dentes no bebê e como agir

Se o bebê esta com problemas digestivos como cólicas, gases ou inchaços, a frustração e incômodo com as dores podem interferir nas mamadas causando algumas greves.

2. O sabor do leite materno

Alterações hormonais causadas pela volta do ciclo menstrual, uma nova gravidez, pílulas anticoncepcionais e até mesmo uma mastite podem alterar o sabor do leite materno e torná-lo menos atraente para o bebê.

Fumar cigarros antes de amamentar (lembrando que fumar é contra-indicado para mães que amamentam já que pode diminuir a produção do leite materno e causar outros males) pode também alterar o sabor do leite.

Durante a mastite, o ideal é continuar amamentando normalmente, isto fará sarar mais rápido, caso o bebê esteja recusando esta mama, ordenhar é preciso. Veja mais aqui: O que é mastite e como tratar

Se o bebê não gosta do sabor do leite em determinado momento, ele pode recusar o peito. Logo que o sabor volta ao que ele conhece, ele volta a mamar.

3. Seu bebê esta doente com alguma virose, gripes entre outras doenças.

Amamentar um bebê doente pode ser um desafio. Se seu filho não está se sentindo bem, ou ele tem um nariz entupido, pode ser difícil para ele mamar e respirar ao mesmo tempo.

4. Produção reduzida de leite materno

Quando a produção de leite se reduz, o bebê pode ficar frustrado e nervoso com a baixa oferta e aos poucos ir diminuindo seu interesse pela mamada. Muitas situações podem levar a uma baixa produção de leite materno, desde o uso de bicos artificiais, uso de leite artificial sem necessidade real como também determinar horários de mamadas. Assim que produção se estabelece de novo, o bebê volta a se interessar mais pelo peito.

Artigos que falam sobre as razões da baixa produção de leite e o que mantêm uma boa produção de leite:

  1. O ciclo de problemas: chupeta, mamadeira e baixa produção de leite materno
  2. O que é livre demanda e porquê precisamos dela
  3. Como aumentar o leite materno

É importante ressaltar que leite materno não seca de um dia para o outro, ok? Veja aqui: Leite de peito seca de um dia para outro?

5. Seu filho está distraído

Á medida que crescem, as crianças ficam mais curiosas sobre o mundo ao seu redor. Os maiorzinhos principalmente, são facilmente distraídos, e às vezes há apenas muitas outras coisas interessantes que eles preferem fazer do que mamar. Nada demais, não force ou insista porque isto sim, pode fazer com quê ele rejeite mais ainda o peito.

6. Seu filho mama rápido

Bebês maiores se tornam experts na mamada e conseguem ordenhar todo o leite que precisam em alguns minutos de mamadas. Se o seu bebê mamou por alguns minutos e simplesmente parou de mamar, ele pode simplesmente ter mamado tudo o que precisa de leite.

Outras causas comuns para o bebê (de qualquer idade) rejeitar o peito:

  • Se o bebê esta estressado por ter recebido muito estímulo (TV, ipads, músicas, barulhos, brinquedos barulhentos, ambientes estressantes e barulhentos)
  • Se a mãe esta estressada por qualquer motivo (lembre-se: o bebê é uma esponja dos sentimentos da mãe)
  • Refluxo no bebê Veja aqui: O que é refluxo em bebês: tipos de refluxo e como aliviar
  • Quando o bebê começa na escolinha ou começar a ser cuidado por outra pessoa, pode fazer uma greve de mamadas que passa assim que ele se adapta melhor a escola. Veja aqui: Adaptação na creche é dolorida para mães
  • Dor após vacinas. Dependendo da posição que o bebê e colocado para mamar, a dor da picada da vacina pode fazer com que ele desista, chore, se estresse e rejeite o peito.
  • Seu bebê te mordeu e você gritou, ele se assustou com sua reação. Veja mais aqui: Meu bebê esta mordendo meu peito, e agora?
  • Não atender ao choro do bebê. Sempre atenda e acolha seu bebê que chora. Veja aqui: Console seu bebê que chora
  • Mudança na rotina como viagens, ambiente familiar estressante, separação do casal, brigas, luto entre outras situações que mudam o clima ao seu redor.
  • Uso de cremes, pomadas, perfumes no corpo da mãe, principalmente na área da mama.

O que você pode fazer se o seu bebê não está mamando?

  1. Certifique-se que todas as causas recebam tratamento adequado, desde a saúde do bebê quanto uma pega errada.
  2. Tente amamentar seu filho em áreas com poucas distrações, mude as posições para amamentar. Continue oferecendo o peito tranquilamente, mas não force seu filho a mamar.
  3. Tente não ficar preocupada e estressada com isto, dê tempo ao seu bebê para que ele passe pelo seu pequeno momento de greve. Ordenhe sua mama para continuar produzindo leite durante a greve.
  4. Tente oferecer o leite materno no copo para ver se o bebê aceita neste período, mas continue oferecendo o peito.
  5. Tente oferecer o peito com o bebê dormindo ou sonolento.
  6. Estabeleça um contato pele a pele com o bebê.
  7. Faça cama compartilhada, se possível ou durma ao lado do bebê nas sonecas diárias.
  8. Dê colo, sempre.

Se a greve começar a durar muitos dias, converse com o pediatra a respeito para examinar o bebê.

Não entenda uma greve de amamentação como desmame, os passos que levam um bebê ao desmame quando ele não usa bicos artificiais são longos e não acontecem de forma rápida e geralmente não antes dos 2 anos de idade.

Leia também:

 

Fontes: American Academy of Pediatrics. New Mother’s Guide To Breastfeeding. Bantam Books. New York. 2011.
Cadwell, Karin, Turner-Maffei, Cynthia, O’Connor, Barbara, Cadwell Blair, Anna, Arnold, Lois D.W., and Blair Elyse M. Maternal and Infant Assessment for Breastfeeding and Human Lactation A Guide for the Practitioner Second Edition. Jones and Bartlett Publishers. 2006.
Lawrence, Ruth A., MD, Lawrence, Robert M., MD. Breastfeeding A Guide For The Medical Profession Seventh Edition.  Mosby. 2011.
Riordan, J., and Wambach, K. Breastfeeding and Human Lactation Fourth Edition. Jones and Bartlett Learning. 2014.


Like it? Share with your friends!

865 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
12
Gostei
Amei Amei
5
Amei
Ouwn Ouwn
2
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)