Mancha Mongólica: a marca de nascença no bumbum do bebê

2 min


366 shares
mancha mongólica

A mancha mongólica é uma mancha azul no bumbum do bebê.

As características de uma mancha mongólica incluem a cor azulada ou acinzentada localizada no bumbum, mas também pode surgir nas pernas ou ombros.

>> Cheirinho de bebê: a ciência explica porque é irresistível

A cor da mancha mongólica varia de azul acinzentado até marrom profundo. São causadas por coleções de células produtoras de pigmento (melanócitos) e são o tipo mais comum de marca de nascença.

Bebês meninos e meninas podem ser afetados pela mancha mongólica, embora alguns estudos sugerem que os meninos são mais suscetíveis a nascer com a mancha. Além disso, bebês a termo tem maior predisposição a apresentar a mancha.

>> Crescer sorrindo: 5 dicas para ter o bebê mais feliz do pedaço

Características da Mancha Mongólica

Ela pode ser única na região do bumbum ou afetar pernas e ombros. Variam de tamanho: de poucos milímetros até 10cm ou mais. Esta presente no nascimento e pode ser confundida com uma contusão devido a cor.

>> Colestase na gravidez: fique atenta a coceira na gravidez

O que fazer para tratar a Mancha Mongólica?

Não há nada a ser feito pois a mancha mongólica não representa risco à saúde. Ela desaparece naturalmente nos primeiros anos de vida. Contudo, em raros casos podem persistir além dos primeiros anos ou idade adulta.

>> Colikids, Colic Calm e Remédios para Cólica no Bebê: Funcionam?

Se a mancha não desaparecer nos primeiros anos, consulte um dermatologista para fazer acompanhamento. Se você não tem certeza de que a mancha surgiu no nascimento e notou a mancha azulada depois, consulte o médico.

A mancha pode ser confundida com contusões, mas é preciso estar atento para não confundir contusões com a mancha mongólica. Uma contusão em uma criança ou bebê precisa de atenção e tratamento médico.

>> Moleira do bebê: quais os cuidados que devemos ter?

A Mancha Mongólica representa riscos?

A mancha é uma condição inofensiva que se resolve por conta própria, no entanto, grandes e numerosas manchas que persistem após o primeiro ano de vida podem estar relacionados a outras questões médicas. Neste caso, conversar com o médico é importante.

Referências:
Ashrafti MR, Shabanian R, Mohammadi M, Kavusi S. Extensive Mongolian Spots: a clinical sign merits special attention. Pediatr Neurol. 2006;34(2):143-145.
Behrman RE, Kliegman R, Jensen HB, eds. Nelson Textbook of Pediatrics. 18th ed. Philadelphia, PA: WB Saunders; 2007.
Paller AS, Mancini AJ. Hurwitz Clinical Pediatric Dermatology: A Textbook of Skin Disorders of Childhood and Adolescence. Philadelphia, PA: Elsevier; 2005.


Like it? Share with your friends!

366 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
1
Uau
Gostei Gostei
6
Gostei
Amei Amei
1
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)