Colestase na gravidez: fique atenta a coceira na gravidez

2 min


colestase na gravidez, coceira na gravidez

Existe um tipo de coceira na gravidez considerada grave, o nome técnico é colestase na gravidez.

A causa mais comum da colestase na gravidez é uma doença hepática que só acontece na gravidez. A Colestase Intra Hepática da Gravidez faz com quê o fluxo normal de bile seja afetado pelos hormônios da gravidez.

>> Contrações de Treinamento ou Braxton Hicks: como acontecem?

A colestase na gravidez costuma surgir no último trimestre, quando os hormônios estão intensos. Geralmente desaparece alguns dias depois do parto.

De acordo com o Society for Maternal-Fetal Medicine, o problema ocorre em cerca de 1 em cada 1.000 gestações. A colestase na gravidez pode ser dos tipos: colestase extra-hepática que ocorre fora do fígado, colestase intra-hepática que ocorre no interior do fígado ou colestase obstétrica.

>> Bebês Fofos: a ciência explica porque eles derretem nossos corações

O que causa a colestase na gravidez?

Os hormônios da gravidez alteram o funcionando da função hepática, o que retarda ou interrompe o fluxo de bile. A vesícula biliar, que contêm a bile produzida no fígado é responsável pela quebra de gorduras na digestão. Quando este fluxo é interrompido, há uma acumulação de ácidos biliares que invadem a corrente sanguínea.

Alguns estudos sugeriram que a causa é o aumento do estrogênio, no entanto, pesquisas recentes descobriram que a progesterona também pode ser uma das causas.

>> Cadeirinha para Auto: tire dúvidas e faça uma escolha segura

Principais sintomas da colestase na gravidez

  • Coceira, principalmente nas mãos e pés.
  • Urina escura
  • Dor no quadrante superior direito (pode ser confundida com dor nos rins)
  • Cansaço e exaustão
  • Perda de apetite
  • Depressão

Como a colestase na gravidez é diagnosticada?

Histórico e acompanhamento pré-natal, exames físicos com observação clínica e exames de sangue.

Riscos para o bebê em mães com colestase na gravidez

O bebê pode ter o risco de sofrimento fetal, nascimento prematuro ou natimorto. Um bebê em desenvolvimento depende do fígado da mãe para remover ácidos biliares de seu sangue. Níveis elevados de bílis materna causam estresse no fígado do bebê.

>> HCG (Gonadotrofina Coriônica Humana): O Hormônio da Gravidez

Grávidas com colestas devem ser monitoras de perto e fazer o acompanhamento médico adequado.

Tratamento

O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas até o nascimento com acompanhamento médico adequado.

Algumas opções de tratamento incluem:

  • Medicamentos anti-coceira tópicos ou medicação
  • Medicação para diminuir a concentração de ácidos biliares
  • Banhos frios e água gelada diminuir o fluxo de sangue no corpo
  • Suplementos de vitamina K administrados à mãe antes do parto e, novamente, uma vez que o bebê nasce para prevenir a hemorragia intracraniana
  • Exames de sangue regulares que monitoram os níveis séricos da bile e a função hepática

>> Icterícia – neonatal e em adultos – tudo que você precisa saber

Mulheres que tiveram colestase em uma gravidez anterior tem risco de ter em próximas?

Não há como saber. Mulheres que tiveram colestase na gravidez possuem até 90% de chance de ter o problema novamente, segundo algumas pesquisas. Mas estas pesquisas não são totalmente conclusivas.

Fontes:
William’s Obstetrics Twenty-Second EdF. Gary, et al, Ch. 50.
ICP Care


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)