Icterícia – neonatal e em adultos – tudo que você precisa saber

5 min


Icterícia

A icterícia trata-se de uma coloração amarelada na pele e no branco do olho. Tanto do recém-nascido quando do adulto.

Os fluídos corporais também podem se tornar amarelados com a icterícia. Ao contrário do que muitos pensam, ela não acomete apenas o recém-nascido.

A intensidade da cor amarela, depende dos níveis de bilirrubina. A bilirrubina é encontrada no sangue. Níveis moderados parecem com o amarelo enquanto que os níveis altos aparecerão como marrons.

>> Toxoplasmose na Gravidez: saiba o que é, riscos e tratamento

A icterícia normalmente indica um problema no fígado ou no ducto biliar.

Causas:

Quando o corpo não processa de forma adequada a bilirrubina, o problema surge. Geralmente as causas estão relacionadas a um problema no fígado. O fígado é responsável por filtrar o sangue e fazer sua limpeza, quando este processo não acontece de forma adequada, a icterícia surge.

>> Poliomelite: o que é, sintomas, transmissão e prevenção

Fatores de risco

  • Inflamação aguda do fígado: isso prejudica a capacidade do fígado para conjugar e secretar bilirrubina, causando um acúmulo.
  • Inflamação do ducto biliar: isso pode prevenir a secreção de bile e a remoção da bilirrubina, causando icterícia.
  • Obstrução do ducto biliar: evita que o fígado dispense a bilirrubina.
  • Anemia hemolítica: a bilirrubina aumenta quando grandes quantidades de células vermelhas do sangue são quebradas.
  • Síndrome de Gilbert: condição hereditária que prejudica a capacidade das enzimas de processar a excreção da bile.
  • Colestase: interrompe o fluxo de bile do fígado. A bilirrubina conjugada contendo bílis permanece no fígado em vez de ser excretada.
Condições mais raras:
  • Síndrome de Crigler-Najjar
  • Síndrome de Dubin-Johnson
  • Causada pela alimentação: forma inofensiva de icterícia. E resultado do excesso de beta-caroteno e não de bilirrubina. Causada pela ingestão de grandes quantidades de cenoura, abóbora ou melão.

Tratamento

Tratamentos usados:

  • Aumento da quantidade de ferro no sangue: tomando suplementos ou comendo alimentos ricos em ferro.
  • Uso de medicamentos antivirais ou esteróides.
  • Quando a causa é obstrução: removendo cirurgicamente a obstrução.
  • Causada pelo uso de uma medicação: mudando o medicamento para um alternativo.

Sintomas da icterícia:

  • Tom amarelo na pele e no branco dos olhos: começa na cabeça e se espalha pelo corpo
  • Fezes claras
  • Urina escura
  • Coceira
  • Fadiga
  • Dor abdominal
  • Perda de peso
  • Vômito
  • Febre

>> Dermatite atópica: o que é, sintomas, como tratar e cura

Tipos de icterícia:

  1. Icterícia hepatocelular: resultado de doença hepática ou lesão.
  2. Hemolítica: resultado de hemólise, ou uma quebra acelerada das células vermelhas do sangue, levando a um aumento na produção de bilirrubina.
  3. Obstrutiva: resultado da obstrução no ducto biliar.

Icterícia Neonatal: em recém nascidos

Pelo menos 60% dos recém-nascidos podem ter icterícia neonatal. Os números aumentam em prematuros e bebês que nascem antes das 37 semanas de gravidez. O problema surge em até 72h horas após o nascimento.

Os fígados dos bebês são menos desenvolvidos e menos eficazes na filtragem da bilirrubina, além disso, o corpo do bebê esta constantemente quebrando e substituindo suas células vermelhas.

Os sintomas costumam desaparecer sem necessidade de tratamento em até 2 semanas. Bebês com níveis muito altos de bilirrubina precisam de tratamento como fototerapia ou transfusão de sangue.

O tratamento em casos graves é vital, já que a icterícia em recém-nascidos pode levar ao kernicterus, um tipo muito raro de dano cerebral permanente.

A icterícia é comum em bebês prematuros – meninos com mais frequência que meninas.

Quando o bebê é saudável e nascido a termo, a icterícia infantil raramente é motivo de alarme e desaparece sozinha em alguns dias.

Causas da icterícia neonatal

Os bebês possuem uma forma diferente de hemoglobina. Quando nascem, eles quebram rapidamente a hemoglobina antiga. Isto gera níveis de bilirrubina acima do normal. Esta bilirrubina deve ser filtrada para fora da corrente sanguínea pelo fígado e enviados ao intestino.

Quando o bebê é prematuro ou esta com a saúde prejudicada, ele pode não conseguir filtrar a bilirrubina tão rápido quanto necessário, resultando no excesso, ou seja: icterícia neonatal.

A icterícia do leite materno é comum e não representa riscos. A indicação é de manter a amamentação normalmente. A amamentação ajudará o bebê a se curar mais rápido. Leia mais sobre isto aqui: Amarelão do leite materno: precisa parar de amamentar?

A icterícia infantil grave esta ligada a um possível distúrbio como:

  • Doença hepática
  • Anemia falciforme
  • Sangramento sob o couro cabeludo (cefalohematoma) – causado por um parto difícil
  • Sepse – infecção no sangue
  • Anormalidade dos glóbulos vermelhos
  • Ducto biliar bloqueado ou intestino
  • Incompatibilidade ABO ou AB – quando a mãe e o bebê têm diferentes tipos sanguíneos. Os anticorpos da mãe atacam os glóbulos vermelhos do bebê
  • Maior número de glóbulos vermelhos – comum em bebês menores e gêmeos
  • Deficiência enzimática
  • Infecções bacterianas ou virais
  • Hipotireoidismo
  • Hepatite
  • Hipóxia – baixos níveis de oxigênio
  • Algumas infecções – incluindo sífilis e rubéola

Os fatores de risco para icterícia infantil são:

  • Prematuridade – seus fígados subdesenvolvidos e menor taxa de evacuações, causam uma filtragem mais lenta e excreção infrequente de bilirrubina.
  • FALTA DE LEITE MATERNO – bebês que não consomem leite materno suficiente ficam desidratados e têm maior probabilidade de desenvolver icterícia.
  • Incompatibilidade de Rhesus ou ABO – quando uma mãe e um bebê têm diferentes tipos sanguíneos, os anticorpos da mãe atravessam a placenta e atacam os glóbulos vermelhos do feto, causando um colapso acelerado.
  • Hematomas durante o parto – isto pode fazer com que os glóbulos vermelhos se quebrem mais rapidamente, resultando em níveis mais elevados de bilirrubina.

Sintomas da icterícia infantil

  • Pele e branco dos olhos amarelos: começa na cabeça e se espalha para o peito, estômago, braços e pernas.
  • Sonolência
  • Fezes claras – bebês amamentados devem ter fezes amarelo-esverdeadas. Bebês alimentados com mamadeira devem ter uma cor mostarda esverdeada
  • Falta de leite materno na quantidade adequada
  • Urina escura – a urina do recém-nascido deve ser incolor

Os sintomas da icterícia infantil grave:

  • Abdômen  ou membros amarelos
  • Sonolência
  • Baixo ganho de peso
  • Dificuldades para se alimentar ou mamar
  • Irritabilidade

Diagnóstico

Antes de deixar o hospital, bebês são testados para icterícia. Na primeira consulta pós nascimento com o pediatra (ocorre 5 dias após a alta hospitalar), esta avaliação também é feita.

A gravidade da icterícia será determinada medindo os níveis de bilirrubina no sangue.

Se a icterícia persistir por mais de 2 semanas, é preciso realizar mais exames de sangue e urina para verificar possíveis causas. Bebês amamentados que estão bem alimentados e ganhando peso adequadamente, pode ser normal a icterícia acima de 2 semanas.

Tratamento

O tratamento em casos leves é desnecessário, já que ela desaparece sozinha dentro de duas semanas.

Casos graves necessitam de internação hospitalar para tratamento com fototerapia, transfusão de sangue ou recebimento de imunoglobina intravenosa. Se a causa for outros problemas, pode ser necessário cirurgia ou tratamento medicamentoso.

Como prevenir a icterícia neonatal?

A melhor maneira de prevenir o problema é alimentando bem o bebê. Amamente em livre demanda caso seu bebê mame no peito. Bebês que usam fórmula devem ser alimentados de acordo com a prescrição médica.

>> Alimentação com fórmula para bebês: o que é preciso saber


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)