Amamentação até 6 meses: benefícios e porque continuar

Amamentar não é fácil e pode ser um grande desafio, no entanto, as vantagens são inúmeras.5 min


50 shares
amamentação até 6 meses, amamentação 6 meses
Advertisements

As vezes, a amamentação até 6 meses é a meta mais realista para muitas mães.

Ou, muitas acreditam que a amamentação até 6 meses é suficiente porque a partir desta data, aumenta a pressão sobre o desmame. Há muita desinformação sobre aleitamento comparado a tudo o que há em jogo.

As recomendações ideais de amamentação são amamentação exclusiva até 6 meses, continuada como principal alimento do bebê até 1 ano de idade e amamentação complementar a alimentação até 2 anos ou mais.

Advertisements

O mais importante a ter em mente é que qualquer período de amamentação traz benefícios ao bebê. Amamentar é uma decisão apenas materna e de nenhuma outra pessoa: nem do médico, nem dos parentes ou amigos. Somente a mãe decide por continuar ou não.

Claro que quando a decisão é de amamentar acima de 6 meses, 1 ano ou 2 anos, haverão ainda mais benefícios. Quanto mais tempo de amamentação, maiores os benefícios.

>> Benefícios da amamentação acima de um ano: porquê continuar é uma ótima opção

Veja a linha de tempo da amamentação e seus benefícios desde o nascimento do bebê.

1. Amamentação após o nascimento

O bebê irá receber o colostro, mais conhecido como a primeira vacina do bebê. O colostro é concentrado em anticorpos e nutrientes, laxante e ajuda a reduzir a icterícia no bebê. Protege o recém nascido de infecções revestindo o trato gastrointestinal e impedindo a invasão de bactérias.

Protege o bebê das doenças que a mãe já teve e doenças que ele pode futuramente ficar exposto.

Advertisements

>> Colostro também é leite, sustenta e é como vacina para o bebê

2. Amamentação por 2 a 5 dias após o nascimento

O colostro passa a se transformar em leite de transição, mais fino e abundante. Ainda neste momento, o leite contêm uma alta quantidade de anticorpos que continuarão protegendo o bebê.

3. Amamentação por 14 dias após o nascimento

O colostro se foi e o leite materno se torna mais maduro, ainda neste momento, a produção de anticorpos esta tão concentrada quanto no colostro.

A proteína do leite materno é mais fácil de digerir do que a do leite de fórmula e leite comum de vaca. Mamar no peito da mãe, ajuda o bebê a ficar menos propenso a desenvolver problemas digestivos , alergias alimentares, erupções cutâneas e cólicas.

Advertisements

>> APLV – Alergia à proteína do leite de vaca: será que meu filho tem?

Amamentar nos primeiros dias do bebê também possui benefícios, não sinta-se frustrada caso você não tenha conseguido continuar.

Continuar amamentando o bebê após este período irá aumentar os benefícios e prolongá-los.

A amamentação também ajuda seu útero a contrair para voltar ao tamanho normal e reduz o sangramento pós parto.

Advertisements

Apenas estes benefícios já fornecem uma boa razão para amamentar seu bebê e tentar continuar por mais tempo.

4. Amamentação por 4 a 6 semanas

Amamentar é transição de dentro para fora da barriga. O bebê estará recebendo através da amamentação apoio e acolhimento no peito, algo que ainda o vincula a sua mãe, para aprender a viver neste mundo novo.

>> Amamentar é uma transição de dentro para fora da barriga

O bebê terá menos chances de desenvolver problemas digestivos, respiratórios, pneumonia, meningite e síndrome da morte súbita infantil.

>> Síndrome de Morte Súbita Infantil: Amamentar diminui os riscos

Advertisements

A mãe poderá se recuperar do parto mais rapidamente e voltar ao peso anterior a gravidez.

>> Amamentar emagrece mesmo ou é mito?

Amamentar ainda ajuda a mãe a relaxar com a liberação dos hormônios ocitocina e prolactina, os hormônios maternais.

5. Amamentação por 3 a 6 meses

Seu bebê será mais saudável do que o bebê amamentado com fórmula.

Estudos mostram que bebês amamentados por pelo menos 4 meses tiveram um risco reduzido de até 50% de desenvolver infecções de ouvido do que bebês que usam fórmula.

Advertisements

Nesta fase, você provavelmente já superou a maioria dos desafios iniciais como fissuras nas mamas, ingurgitamento mamário e até possíveis mastites. A amamentação esta estabelecida e a produção de leite também.

Não há mamadeiras para lavar ou carregar, muito menos problemas de constipação do bebê causados pela fórmula.

>> Mamadeiras e chupetas: um incômodo na vida das mães e dos bebês

>> Mães que amamentam dormem mais a noite: até 45 min a mais

6. Amamentação 6 meses

As chances do bebê desenvolver alergias diminui ainda mais, uma vez que o trato gastrointestinal do bebê recebeu apenas leite materno, o melhor alimento para ajudá-lo a se desenvolver.

O sistema gastrointestinal do bebê amamentado nesta fase começa a produzir anticorpos que revestem os intestinos e o protegem.

O leite materno fornece todos os nutrientes que o bebê precisa nesta fase e a introdução alimentar é apenas um complemento até 1 ano de idade.

>> Leite materno é o principal alimento do bebê até 1 ano de idade

A maioria dos estudos sobre amamentação usam os 6 meses como marca de corte. Isto significa que amamentação por pelo menos 6 meses possuem efeitos protetores contra doenças e ajuda na formação do sistema imunológico do bebê.

7. Amamentação por 9 meses

Bebês entre 6 e 9 meses de idade passam por grandes mudanças como o nascimento dos dentes, angústia da separação e outros desafios. Amamentar seu bebê nesta fase o deixará mais tranquilo e preparado para enfrentar tantas mudanças.

>> Angústia da separação em bebês ou crise de separação

Amamentar é muito mais do alimentar um bebê. Se o seu bebê estiver com dificuldades durante a fase de introdução alimentar, amamentar irá ajudá-lo a se adaptar e dará a ele os nutrientes que ele precisa nesta fase.

>> Introdução alimentar com 6 meses de idade: a melhor opção

Pesquisas indicam que amamentar o bebê por mais de 6 meses ajuda em seu desenvolvimento intelectual. E isso vale mesmo quando os antecedentes educacionais e socioeconômicos dos pais são levados em consideração.

Além disso, há um ganho em quociente emocional para bebês amamentados que muitos desconhecem.

>> Amamentar aumenta capacidade emocional do bebê: o quociente emocional (QE)

8. Amamentação por 1 ano ou mais

Conforme recomendado pela Academia Americana de Pediatria, Sociedade Brasileira de Pediatria e OMS:

  • O benefícios para a saúde se estendem pela vida inteira
  • O bebê estará protegido contra asma, diabetes, doença de Crohn, colite ulcerativa, obesidade e colesterol alto durante toda a vida.
  • O bebê será menos propenso a precisar de terapia de fala ou uso de aparelhos dentários

>> Benefícios da amamentação acima de um ano: porquê continuar é uma ótima opção

Leite materno não perde a validade. A concentração de anticorpos no leite humano torna-se mais concentrada à medida que o volume diminui.

Além disso, amamentar é a melhor forma de acolher e consolar um bebê, fazê-lo dormir e torná-lo seguro e independente em comparação a bebês desmamados precocemente.

Não se preocupe, seu bebê irá desmamar naturalmente por volta de 2 ou 3 anos, alguns por volta de 3 ou 4 anos. Um desmame gentil pode ser conduzido após os 2 anos de idade quando o bebê demonstrar sinais de estar preparado.

>> Como estou fazendo o desmame gentil com meu filho

Amamentar também traz benefícios para as mães: quanto mais tempo de amamentação, menos chances da mulher desenvolver câncer de mama e osteoporose. Mães que amamentam possuem menos chances de ter depressão pós parto ou mais tarde.

>> Amamentar diminui o risco de câncer de mama

As crianças crescem rápido demais. 2, 3, 4 anos de amamentação não são nada comparados a linha do tempo de uma vida inteira. Se me perguntarem algum dia porque amamentar um bebê, a resposta é muito clara: pelas vantagens.

Advertisements

Advertisements

Like it? Share with your friends!

50 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
1
Uau
Gostei Gostei
2
Gostei
Amei Amei
8
Amei
Ouwn Ouwn
9
Ouwn
error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)