Colar de Âmbar para bebê: para quê serve e funciona, segundo a ciência

3 min


Colar de Âmbar

O colar de âmbar é usado hoje em dia por muitas famosas e seus filhos.

O colar de âmbar se tornou moda a alguns anos e muitos acreditam piamente em seus benefícios. Aqui no portal, tento trazer as informações para o campo da ciência o máximo que consigo encontrar em evidências. Por isso, se você espera ler um artigo falando para usar o colar em seu bebê sem investigação, não será este.

O uso do colar de âmbar no bebê envolve muito mais do que qualquer efeito comprovado ou não. Trata-se de uma questão de segurança. 

O que é um colar de âmbar?

São colares feitos de âmbar báltico que liberam óleos com o calor do corpo. Contêm ácido succínico, que posteriormente é absorvido na corrente sanguínea. Ficaram famosos para uso, principalmente, no nascimento dos dentes do bebê.

>> Nascimento dos dentes no bebê: como aliviar, odontopediatria e mais

Como o ácido succínico funciona em colares de âmbar?

Em teoria, quando colocado em contato com a pele, o colar se aquece liberando o ácido succínico. Que, por sua vez, é absorvido pela corrente sanguínea. Este processo, teoricamente, causaria alívio da dor.

Será que qualquer evidência científica que exista comprovando um efeito analgésico é suficiente para justificar os riscos de asfixia e estrangulamento que um colar representa para a saúde de um bebê?

“Com base na completa falta de plausibilidade em qualquer nível de eficácia, qualquer potencial de dano, por menor que seja, deve desequilibrar a equação do uso deste produto.” Amber Teething Beads: A few points to consider – Scepticon

Eu vou sincera: não há nem mesmo evidência científica que me faria sentir segurança frente a este tipo de risco. Pelo visto, você já percebeu que eu não aconselho o uso nem mesmo se existissem evidências de alívio da dor. Se é para falarmos sobre alívio da dor, vamos falar de amamentação, colo, aconchego e outras estratégias mais seguras.

>> Leite materno é analgésico em procedimentos dolorosos

O que dizem as evidências científicas sobre o colar de âmbar

  • O âmbar do Báltico (o tipo recomendado para a dentição) contém ácido succínico (Fonte). Outros tipos não podem.
  • Não há nenhuma evidência de que o âmbar do Báltico libere o ácido succínico à temperatura do corpo. O ácido succínico funde a 187 ° C, mas é moderadamente solúvel em água. Então, se de fato sair do âmbar, não poderia estar em forma fundida. A temperatura do corpo (cerca de 37 ° C) seria insuficiente para derreter. Existe a possibilidade de ser dissolvido pelo suor.
  • O ácido succínico é encontrado naturalmente em nossos corpos e em muitos alimentos, incluindo cerveja e vinho (Fonte). Em alguns países, é permitido como um aditivo alimentar (número 363). Geralmente, é considerado seguro (Fonte), embora, assim como não há estudos sobre seus efeitos analgésicos, não há nenhum investigando sua segurança em humanos. Curiosamente, a granel é considerado como irritante da pele e das vias respiratórias, com risco de dano ocular grave (MSDS).
  • Não há provas científicas de que o ácido succínico alivie a dor.
  • Há um único estudo em animais (Fonte) mostrando que o ácido succínico pode ajudar na redução da ansiedade em camundongos, mas nada sobre os efeitos analgésicos.

Há uma incontável quantidade de pais e vendedores de colar de âmbar que vão dizer que, por experiência própria, funciona.

O curso natural das coisas funciona para dores de dente, diminuição do choro e até para que as cólicas cessem. É a vida.

>> Colikids, Colic Calm e Remédios para Cólica no Bebê: Funcionam?

Não existem evidências científicas que justifiquem expor um bebê ao uso de um colar que pode asfixia-lo. O colar de âmbar, dizem, deve ser usado com supervisão e a criança não deve dormir com ele.

Mas sejamos sinceras: que mãe, pai ou cuidador tem total controle de todas as ações de um bebê, mesmo estando ao seu lado? Sabemos que em um segundo, muito pode acontecer.

O tamanho do risco a que expomos nós e nossos bebês depende da probabilidade de um evento acontecer e da gravidade das consequências. Esta conta é fácil: lidar com uma dor de dente ou um bebê agitado é menos arriscado do que correr o risco de perdê-lo para sempre.

No artigo sobre a dentição na Science-Based Medicine, de Clay Jones, ele esclarece que a dentição realmente não produz nenhum sintoma sério, e que todos os “tratamentos” usados ​​para acalmar os bebês através de episódios iniciais são desnecessários.

Em um post do Pediatra John Snyder no site Sciene Based Medicine, ele expõe o absurdo no uso dos colares de âmbar, além de aconselhar que não é necessário nem aconselhável usar drogas de qualquer tipo para tratar a dentição em bebês.

Leia também:


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
3
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)