Sim, sou Dona de Casa! Valorize o quê e o quanto você faz todos os dias

3 min


130 shares
Sim, sou dona de casa
Sim, sou dona de casa

É difícil para muitas mulheres aceitarem o “sou dona de casa”, visto que ela não é remunerada ($), e muitas vezes associada ao insucesso (ledo engano). Diga-se de passagem, não é fácil.

Nunca sonhei em ser dona de casa e com certeza estou longe de ser uma “Master Senhora do Lar”, mas em determinado momento da vida, me vi nesta condição. Muitas mulheres não tem a opção de se dedicar somente à casa, fica aqui a minha grande admiração por elas!

Dar conta de filhos, trabalho dentro e fora de casa, estudo e tudo mais, realmente é complicado, mesmo quando se tem ajuda ou quando estas tarefas são 100% compartilhadas.

Eu demorei a entender meu papel, e por vezes me senti mal por não trazer dinheiro para dentro de casa, me senti inútil e esqueci por vezes o valor que tinha, achava que todo meu potencial estava sendo desperdiçado e que eu estaria fadada ao destino de “Amélia”, ficava muito mal em “só” cuidar da casa, simplesmente não aceitava aquela condição.

 Li um texto que falava sobre um marido que chegou em casa e tudo estava de pernas para o ar, filhos largados, casa totalmente bagunçada. Um verdadeiro caos. Ao perguntar à esposa o que tinha acontecido ela diz:

– Todo dia, quando você chega do trabalho, me pergunta:
“- Afinal de contas, o que você fez o dia inteiro dentro de casa?” Bem… Hoje eu não fiz nada! 

Aqui o marido não é desses, ele reconhece até mais do que eu o valor das coisas que faço, mas esse texto me ajudou a enxergar melhor o papel que estava assumindo, não é pouca coisa ser dona de casa, não é coisa de preguiçosa, não é coisa de mulheres incapazes, definitivamente não é! Dessa forma resolvi fazer as coisas realmente funcionarem na minha casa, assumindo a liderança e tomando à frente nas decisões que envolvessem a nossa rotina, tudo precisava funcionar e fluir.

Leia também:

Quando passamos a valorizar o que fazemos as coisas ficam bem melhores.

E eu que achava que era coisa banal ser dona de casa, percebi que é um baita trabalho, muitas vezes a preguiça fala mais alto e a loucura de muitos afazeres toma conta de mim, mas busco sempre melhorar minhas tarefas e deixá-las bem práticas, afinal logo logo serei mãe, além de ser universitária, esposa, filha e mulher.

Pra começar passei a olhar para minha casa como sendo uma empresa já que no meio empresarial existem processos e rotinas para que todo o serviço seja feito da melhor maneira possível, na casa seria a mesma coisa.

Então vamos lá, veja agora como lido com minha pequena empresa do lar:

  • Setor financeiro, onde são estabelecidos orçamentos e limites de custo, organização de contas e metas de economia.
  • Setor administrativo, são definidos a alimentação semanal, a necessidade de compras e as tarefas a serem executadas ao longo da semana, incluindo limpeza e organização, esse setor também propõe melhorias, fornece recompensas e cuida do geral para que os processos sejam respeitados.
  • Setor de produção é o “chão de fábrica” aqui é mão na massa e trabalho pesado, todas as tarefas planejadas são executadas, desde a cozinha até a limpeza e organização.

Nesta empresa também tem expediente. O início e o fim das tarefas tem horário certo e dias de folga, afinal, temos outras coisas para nos ocupar e merecemos descanso. Não podemos ser donas de casa atuantes 24h por dia!

  • Saia, se jogue no sofá, estude, leia um livro, durma, se divirta… 24h por dia apenas sendo mãe porquê é assim que é a maternidade: não tem folga, não se engane. Mas não se esqueça de colocar o pai na onda e fazê-lo participar dos cuidados com os filhos, isto é muito importante.

 Então, se você é dona de casa e se acha “menas”, pare já com este pensamento.

Se você acha muito difícil cuidar da casa e filhos e ainda lidar com a vida social, saiba que organização é coisa mágica! Pare um dia, anote todas as suas tarefas e distribua durante a semana da melhor maneira pra você e sua família, e se todos colaborarem e seguirem a rotina, você verá o milagre da organização.

Não esqueça de se AMAR, mas se ame muito mesmo! Amor próprio é coisa que exala, transparece e faz um bem danado. Não se sinta sozinha, procure mulheres que tenham o mesmo estilo de vida, compartilhe experiências, encontrem-se, troquem informações e apoiem-se. Abrace o que te faz bem!

Beijos da Dona da Casa,
Estela Nascimento


Like it? Share with your friends!

130 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
1
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)