Perturbação na amamentação: aquele incômodo visceral em amamentar

3 min


589 shares
Perturbação na amamentação

A perturbação na amamentação pode acontecer com qualquer uma, desde mães que não sabem do que se trata até profissionais de aleitamento.

Ter uma visão clara sobre o que é e como acontece a perturbação na amamentação pode te ajudar a procurar ajuda e apoio tanto de outras mães, profissionais e até estratégias internas para lidar com o problema.

Passar pela perturbação da amamentação não é agradável e é um momento bastante complicado pelos sentimentos que o envolvem, bem como pela culpa que ele causa.

Eu tive o problema no final da minha amamentação, quando meu filho já estava com 3 anos.

Nós já estávamos a alguns meses em processo de desmame gentil e a perturbação na amamentação surgiu para, neste caso, me dar mais certeza do desmame como algo benéfico naquele momento.

Acontece que nem sempre acontece quando a criança esta pronta para o desmame. O maior problema é quando ela surge quando a criança tem menos de 2 anos e ainda não esta preparada nem para o desmame e nem para a diminuição das mamadas como alívio para a mãe.

Geralmente o problema atinge principalmente grávidas que continuam amamentando, mães que amamentam em tandem e mães como eu, que estão amamentando por mais de 2, 3 anos.

Ainda assim, a perturbação na amamentação pode atingir qualquer uma, em qualquer momento da amamentação.

  • Pelo menos 1/3 das grávidas podem ter perturbação da amamentação.
  • Em tandem, o problema pode ser desencadeado apenas quando a criança maior mama ou quando as duas mamam ao mesmo tempo.
  • Em muitos casos, o gatilho que acorda o problema pouco tem a ver com estas situações.

Sintomas da perturbação na amamentação:

  • Ter um sentimento ruim em relação a amamentar;
  • Se sentir irritada, ansiosa e desconfortável com a sucção;
  • Emoções primitivas e fortes que as fazem até mesmo ranger os dentes de nervoso, se machucar para aguentar a mamada do bebê e vontade de gritar;
  • Cerrar os punhos, querer o filho distante e querer que a amamentação cesse logo;
  • Em casos mais graves, vontade de machucar o filho;
  • Os sentimentos cessam imediatamente quando a criança pára de mamar;
  • Coceiras pelo corpo como resultado da irritação;
  • Sensação de angústia extrema, nó na garganta;
  • Sentimento de estar presa ou refém,
  • Não é dor física, é dor interna.

Os sintomas precisos da perturbação variam muito de mulher para mulher.

A intensidade do problema pode ser leve, o que te faz se perguntar: “Por que não gosto mais de amamentar meu filho?” ou pode ser uma intensidade extrema que a sensação é: “Por favor, pare de mamar imediamente!”

Como o problema é pouco comentado, nem sempre a mãe entende o que esta acontecendo e se sente culpada por ter estes sentimentos em relação a amamentação de seu filho.

A raiz dos problema as vezes pode estar ligada a uma vontade inconsciente de desmame (lembra meu caso? Eu já estava no desmame gentil a alguns meses), então seu corpo de forma primitiva entende que precisa afastar o filho do peito.

A perturbação na amamentação é uma reação primitiva totalmente diferente do comportamento consciente que temos hoje sobre a importância do desmame gentil para a saúde emocional da criança.

É importante ter em mente que a perturbação na amamentação não tem nada a ver com os sentimentos da mãe em relação ao filho, não tem nada a ver com falta de amor ao filho e nem a amamentação. Mas entender que o problema é inconsciente, as vezes incontrolável e um aviso do corpo para que você tente respirar fundo e colocar a mente no lugar.

Na verdade é como um briga da razão contra nossas emoções mais profundas, primitivas e viscerais.

Como diminuir ou lidar com a perturbação na amamentação?

  • Tente ter algum tempo para si mesma e sair um pouco sozinha para descansar a cabeça;
  • Se possível diminua o tempo de mamada, assim, seu filho vai mamar mais vezes, só que a intensidade dos sentimentos durarão menos tempo;
  • Tente encontrar o gatilho: no meu caso, ela surgia com intensidade durante o período menstrual, o resto do tempo ficava tudo bem. Então quando estava chegando este momento, eu me preparava psicologicamente para enfrentar a perturbação de forma consciente e determinada.
  • Tente conversar com seu filho durante a amamentação, fazer carinho nele e pensar no quanto é importante para ele mamar e como ele ficar feliz, assim você tenta combater em sua mente a perturbação com uma ótima razão para continuar;
  • Use um ipad, o celular ou ouça música durante a amamentação para se distrair;
  • Faça exercícios, eu comecei a correr na esteira. Isto me ajudou muito a produzir endorfina para me sentir bem;
  • Faça uma caminhada pelo bairro, se encontre com as amigas, vá cuidar de si mesma: dedique-se a sí mesma pelo menos um dia na semana;
  • Se a perturbação na amamentação te aflige em horários específicos, mude os horários de mamada;
  • Cogite colocar seu filho na escolinha, pelo menos por poucas horas para você descansar um pouco;
  • Tente distrair seu filho para outras atividades quando a crise estiver intensa e você não estiver conseguindo mesmo amamentar.

Nem tudo dá para fazer, dependendo da idade do bebê, mas ter em mente algumas estratégias para diminuir a sensação e tentar pelo menos algumas, podem melhorar sua qualidade de vida durante este tempo.

Se o seu filho tiver mais do que 2 anos de idade, você pode aproveitar este momento para tentar iniciar o desmame gentil, talvez iniciar este processo, já seja suficiente para acalmar a agitação interna que te aflige.

Leia também:


Like it? Share with your friends!

589 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
2
Gostei
Amei Amei
3
Amei
Ouwn Ouwn
1
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)