Tempo de leitura deste artigo:4 minutos

Existe um momento da amamentação que muitas mães acham que não produzem mais leite suficiente, é a famosa crise dos 3 meses em bebês.

A crise dos 3 meses em bebês não é nada grave e faz parte de um marco de desenvolvimento tanto do bebê quanto da demanda de leite materno da mãe.

Basicamente o corpo humano trabalha de forma a evitar qualquer desperdício e a produção de leite materno não é diferente disto. A produção sempre atende a demanda do bebê, para mais ou para menos.

A todo instante nosso corpo esta trabalhando para que as demandas do bebê sejam atendidas de forma eficiente e absoluta.

Quando não existem interferências externas nessa produção como o uso de leites artificiais, mamadeiras e chupetas, o corpo trabalha com as informações reais que o bebê envia para ele durante a mamada para adequar a produção.

Isto significa que durante todo o tempo em que uma mãe amamenta, ela vai ajustar sua produção em vários períodos para mais ou para menos.

A não interferência neste processo é importante para que o corpo não receba sinais errados e produza de acordo com informações adequadas, falei sobre isto aqui: O ciclo de problemas: chupetas, mamadeiras e baixa produção de leite materno.

Quando o bebê nasce, o seu corpo vai produzir leite materno em excesso porque ele ainda esta conhecendo a frequência de mamadas e necessidades do seu bebê, por isso, a produção em excesso garante a alimentação adequada, no entanto, deixa seu peito duro, cheio e muitas vezes dolorido.

Com o tempo o corpo da mãe passa a conhecer melhor os hábitos de mamadas e necessidades do bebê e resolve ajustar a produção de leite materno para a quantidade exata que o bebê mama de dia e de noite, assim ele garante a alimentação plena do bebê e ainda mantêm a mãe confortável, ou seja, com o peito mais murcho e mole.

Quem é que aguentaria ficar com o peito duro, cheio e dolorido por meses ou anos a fio? Este estado não é o normal da amamentação.

Peito murcho e mole é o estado normal da amamentação. Em muitos casos ele vai encher de novo, serão os momentos de ajustes de produção: quando o bebê cresce ou passa por um pico de crescimento, começa então a mamar mais vezes mandando um sinal para o seu corpo de que precisa aumentar um pouco a produção novamente. Logo em seguida seu corpo se adapta ao nova demanda e volta a deixar seu peito mais murcho.

É um processo de adaptação contínuo que acontece no corpo da mulher durante todo o período de amamentação e é importante não confundi-lo com falta de leite.

Quando mães confundem este estado normal com falta de leite, elas começam a interferir externamente no processo com outros leites, o que confunde seu corpo durante o ajuste e pode, aí sim, criar uma demanda falsa de menos leite mamado. E não é isto que queremos, não é mesmo?

Mas meu bebê esta mamando mais vezes que o normal agora com 3 meses…

Nesta fase, que não necessariamente são os 3 meses para todas, pode ser com 2 ou 4 meses também, o bebê esta passando por um pico de crescimento, que faz com que ele mame mais vezes, justamente para avisar para o seu corpo que em breve ele precisará de mais leite e que a produção deve aumentar.

Nesta fase de pico de crescimento, ele pode ficar mais irritado, mamar de forma mais nervosa, soltar o peito várias vezes, ter o sono agitado. Isto vai durar alguns dias e passar, fique calma.

Veja mais sobre isto aqui: Picos de crescimento e saltos de desenvolvimento no bebê.

Por isto, atenção: confie no seu corpo e na sua capacidade de nutrir seu filho. Acredite que seu corpo é capaz de atender as demandas do seu bebê e deixe que estes dois se comuniquem livremente durante a mamada e se entendam sem interferências externas.

A maior parte dos problemas em amamentação estão relacionados a falta de confiança da mulher na capacidade de seu próprio corpo. Em vez de pensarmos em diminuição de produção de leite materno, vamos entender que trata-se apenas de um ajuste de produção importante e necessário para você e para o seu bebê.

Leia também:

 

Deixe um Comentário

comments