Tempo de leitura deste artigo:6 minutos

O ganho de peso de bebê é um dos assuntos que mais apavoram mães, desde a maternidade até algum tempo depois de nascido.

O tema é cascudo e assusta mães diariamente. Se tornou um assunto tão preocupante ao longo do tempo e muitos profissionais ainda hoje apavoram mães na consulta mensal com as taxas de ganhos diários, até mesmo quando as coisas estão caminhando bem. Certamente que o bebê ganhar peso é importante e mostra dia a dia que ele tem se desenvolvido e estas medidas são um dos referenciais de quê ele esta bem. Um dos referenciais, não todos.

Digo isto porque um profissional de saúde, um pediatra atualizado costuma avaliar uma série de fatores além do ganho de peso, bem como o crescimento do bebê, se esta saudável, sua genética e principalmente seu tipo de alimentação, se mama no peito exclusivamente ou se complementa com fórmula. Estes outros fatores por vezes são ignorados e muitos se apegam aos números da balança, simplesmente.

O pior desta preocupação diária das mães com o ganho de peso é que, ela pode motivar mães a complementarem a alimentação do bebê sem motivo, e as vezes até mesmo pediatras fazem isto sem necessidade.

Muitas vezes ví mães comentando que em determinado mês o bebê esteve doente e mamou menos (obviamente) o fazendo não ganhar o peso de costume e a primeira coisa que elas ouvem do pediatra é que “se continuar assim” será preciso complementar.

Muita calma nesta hora. Pensar desta forma é avaliar que um bebê irá ficar doente e se alimentar mal todos os meses e isto não é real.

Pensar assim é enquadrar bebês dentro de um padrão que nem sempre é igual para todos e isto também não é real. As vezes o bebê não ganhou o esperado para o mês, porém cresceu 3 cm ou mais e crescimentos assim são motivos de comemoração, não? São estes detalhes que precisam ser avaliados junto ao pediatra e não apenas um único dado.

Há de se pensar que um bebê que mama exclusivamente no peito pode ter um ganho de peso diferente do ganho de peso de um bebê que complementa com leite artificial ou que só se alimenta de leite artificial, fiquem atentas.

O ideal é não comparar seu filho nunca com o da vizinha ou da amiga mãe do grupo virtual.

Temos genéticas completamente diferentes também, alguns crescem mais e engordam menos, outros engordam mais e crescem menos, não existe um padrão apenas uma base de referência que deve ser avaliada junto aos outros fatores.

Outro problema comum é a mãe associar as mamadas frequentes, que são normais a leite insuficiente e você pode ler mais sobre isto aqui: Tamanho do estômago do bebê e mamadas frequentes.

Pensando em tudo isto, qual é o ideal de ganho de peso diário para um bebê?

O esperado é que um recém-nascido ganhe de 25 a 35 gramas por dia. Esta é uma média de avaliação e acompanhamento do pediatra e qualquer ganho menor do que este nem sempre significa um problema, ainda mais se sua curva estiver ascendente, ele apenas sinaliza atenção para tentar corrigir possíveis problemas na amamentação que não tem ajudado o bebê a ganhar o quanto deveria.

Então, o principal a ter em mente é que quando o bebê esta sendo acompanhado por um bom e atualizado pediatra, nem sempre ele recomendara o complemento, mesmo quando o bebê esta abaixo do ganho esperado pela média, na verdade ele tentará encontrar junto a mãe os possíveis problemas que estão impedindo um ganho esperado e tentará corrigi-los ou encaminhar a mãe para um profissional de aleitamento como uma consultora ou banco de leite.

Receitar o complemento geralmente é a medida mais fácil para muitos, mas nem sempre a ideal.

Bebês prematuros nem sempre acompanham este padrão de ganho de peso e são avaliados caso a caso com sua idade corrigida, inclusive.

Meu bebê nasceu e perdeu peso, e agora?

É normal e esperado que o bebê tenha uma perda de peso quando nasce de até 10% do peso de nascimento e ele geralmente costuma ganhar de novo este peso perdido inicialmente entre 10 e 15 dias depois de nascido, ou seja, ir no pediatra com uma semana de nascido e ver que o bebê perdeu peso não significa muita coisa, apenas que tudo esta acontecendo como geralmente acontece na vida dos bebês naturalmente, não se desespere.

Os bebês perdem este percentual de peso quando nascem porque basicamente nascem com uma reserva que a natureza determina a ele para realizar atividades que ele não realizava dentro do útero como chorar, se movimentar, mamar, respirar, etc. e existe um acúmulo de líquido no bebê que o deixa mais inchado nos primeiros dias.

Sinal de alerta

Os sinais de alerta são dados quando o recém-nascido começa a perder peso depois do prazo de 15 dias de nascimento. Se ele continuar perdendo peso, aí sim existe a preocupação para avaliar se ele esta com alguma doença como infecções urinárias, alergias, refluxo ou outros problemas e se ele tem ingerido a quantidade que deve de leite materno.

Os maiores problemas quando um bebê perde peso, em grande parte das vezes esta relacionado às técnicas de amamentação como pega errada, posicionamento inadequado, horários determinados para mamar, entre outros. Sobre horários para mamar, escrevi sobre a importância da livre demanda aqui: O que é livre demanda e por quê precisamos dela

Então fique atenta, uma semana ou duas de nascido não é referência para determinar se um bebê perdeu peso, porque ele ainda esta dentro do prazo para ganhar os 10% que se perde após o nascimento e não só um dado como ganho de peso deve ser levado em consideração quando se avalia se o bebê esta bem.

É certo que este ganho é uma referência e sinal de que as coisas estão caminhando bem, mas fique calma, não se desespere se o seu bebê estiver um pouquinho abaixo do padrão, isto não significa necessariamente um problema. Faça sempre o acompanhamento com o pediatra, tente encontrar um profissional atualizado para tal e entenda que bebês são diferentes no desenvolvimento, assim como todas as pessoas. 😉

Leia mais:

 

Deixe um Comentário

comments