Desmame noturno: o mito que bebê e mãe dormirão melhor

4 min


3.3k shares
Desmame noturno

O desmame noturno é um assunto polêmico que rende muitas dúvidas.

Isto porque para algumas mães, o desmame noturno é visto como uma solução rápida e prática para as acordadas noturnas do bebê.

Por mais cansativo que seja a amamentação noturna e por mais que exija da mãe, (isto é fato), sabemos que o bebê precisa dela. Se não precisasse, não mamaria, não é mesmo?

No entanto, quando falo que o desmame noturno não é a solução para o bebê “dormir noites inteiras”, muitas mães me olham torto e ficam irritadas com este balde de água fria.

O bebê mama porque acorda ou acorda para mamar? Talvez você se surpreenda em descobrir que ele mama porque acorda.

Nos primeiros meses, provavelmente seu bebê irá acordar para mamar, isto porque o estômago dele é muito pequeno e o leite materno é de fácil digestão (o que é ótimo para seu estômago pouco desenvolvido) e esta combinação de uma rápida digestão aliada a um estômago pequeno, gera as acordadas noturnas, inclusive, as vezes de hora em hora para que o recém-nascido reponha este leite.

Isto significa que acordar de madrugada para o seu pequeno estreante do mundo é uma questão de sobrevivência. 

Conforme o bebê cresce e os meses passam, ele não acorda mais para mamar. Ele mama porque acorda. E convenhamos, fazer um bebê voltar a dormir mamando depois que ele acorda é mais prático, rápido e fácil do que tentar fazer isto sem o peito. As vantagens da amamentação são para a mãe também durante a noite.

Então, eis os motivos de eu pessoalmente não acreditar e não validar desmame noturno como solução mágica para um bebê dormir mais e melhor:

1. Fazer o bebê voltar a dormir novamente mamando é mais fácil do que tentar fazer isso sem dar o peito para ele.

Pergunte as mães que precisaram dar mamadeira desde sempre e acordar de madrugada para aquecer e preparar, além de tomar os cuidados para que o bebê tome apenas o suficiente ou não faça isto deitado (porque sim, mamar mamadeira deitado pode dar otites, o peito não, veja mais aqui: pode amamentar deitada? O fim de um mito).

2. O bebê provavelmente continuará acordando de madrugada e então, como você irá fazer pra ele voltar a dormir?

Porque tentar dar uma volta gigante e cheia de curvas se você pode seguir em linha reta? Passar a dormir noites inteiras se trata de um processo de desenvolvimento infantil e o sono das crianças tem ciclos muito menores do que o sono dos adultos, então o normal é que elas acordem mesmo de madrugada por um período de tempo, até que seu ciclo de sono se amadureça.

Veja aqui:

Isto não se ensina, não se aprende, não “se ajuda” a acontecer. É marco de desenvolvimento, cabe a natureza esta tarefa de desenvolvimento do sono do bebê.

Fórmulas mágicas não existem, não adianta. As vezes quando tentamos melhorar algo, acabamos piorando porque estamos interferindo no curso natural do desenvolvimento infantil e o que era pra acontecer de forma tranquila, claro que com um pouco de paciência e força de nossa parte para aguentar este período, se transforma em um grande estresse para toda a família (sim, me refiro aos treinamentos de sono, as medidas usadas para deixar o bebê sem peito sem necessidade alguma).

O máximo que aconselho quando uma mãe diz que seu filho de 1 ano ou mais esta acordando mais de 2, 3 vezes a noite para mamar é para que ela verifique os possíveis motivos que tornam as noites complicadas por um certo período como dentes nascendo, dores, doenças, frio, calor, saudade da mãe que trabalha fora o dia inteiro e até mesmo se o fato de fazer ou não cama compartilhada pode aliviar um pouco as noites difíceis.

E saiba que estas situações vão existir para todos os tipos de bebês: os que mamam no peito e os que não mamam no peito. Então veja, será que o desmame noturno resolve mesmo?

Na maternidade não há fórmulas mágicas. Não há atitudes onde todos saem ganhando, a conta simplesmente não fecha. Para que a mãe tenha todo descanso que precisa nos primeiros meses, algo se perde. Quando pensamos na relação mãe e bebê, há de se considerar sempre o elo mais frágil desta relação: o bebê.

O bebê vai crescer. Ele vai crescer! O tempo vai passar. Os primeiros anos podem ser os mais difíceis de sua vida e nem te direi que você sentirá saudade, pois eu mesma, sofri tanto durante minha gravidez que não sinto saudade dela, então entendo que uma mãe pode não sentir saudade dos primeiros anos quando eles exigiram mais do que ela poderia aguentar sozinha e ela esteve em situações de exaustão o tempo inteiro.

Mas lembre-se: a maioria das questões dizem respeito a maternidade em si e não ao fato de seu bebê mamar no peito. A necessidade de contato do filho com a mãe, vai além do fato dele mamar no peito.

Muitas mães que não amamentam dirão que seus filhos continuam acordando de madrugada, que continuam solicitando a sua presença…E não pensem que sou alheia as dificuldades maternas, aqui escreve uma mãe que não teve rede de apoio, que teve um bebê que mamava a cada 40 min, hiperlactação, refluxo como resultado desta hiperlactação e muito choro e colo único e exclusivo de mãe para se acalmar, não foi fácil.

Mas aqui estou, dizendo para você que há esperança e que sim, parece clichê, mais o tempo passa e eles crescem. O ninho um dia vai ficar vazio e você terá aquele momentinho só seu que tanto deseja, aquela noite inteira de sono que tanto faz falta. Um abraço, amiga materna.

Leia mais:


Like it? Share with your friends!

3.3k shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
1
Uau
Gostei Gostei
2
Gostei
Amei Amei
2
Amei
Ouwn Ouwn
3
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)