Prematuro internado: Como manter a produção de leite

3 min


169 shares
Prematuro internado

Quando temos uma situação de prematuro internado, aprender a manter a produção de leite materno se torna muito importante.

Isto porque o prematuro internado nem sempre consegue sugar e mamar, imediatamente. Dependendo do quão prematuro o bebê nasceu e suas condições, as vezes leva-se semanas ou meses para que ele volte para casa.

Ter um prematuro internado abala o emocional da maioria das mães que esperavam levar seus bebês para casa assim que nascessem.

A surpresa do nascimento as vezes as pressas e com tantas novidades não esperadas, o dia a dia no hospital e a preocupação com a saúde e recuperação do bebê mexem com a família inteira, mas principalmente com a mãe recém-nascida.

Isto porque o parto idealizado não aconteceu, o bebê idealizado não nasceu. O bebê que nem sempre pode sequer ir para os braços da mãe imediatamente se torna um novo desafio a ser vencido, muito mais preocupante que a espera pelo fim da gravidez.

Como uma mãe abalada emocionalmente e preocupada pode conseguir produzir leite para seu prematuro internado?

É importante ter expectativas reais quanto a quantidade de leite produzindo inicialmente e isto serve para todas as mães. Muitas se assustam com pequenas quantidades, no entanto, nos primeiros dias, a quantidade de leite realmente é bem pequena.

Isto porque inicialmente o que é produzido é o colostro, que realmente é pouco em quantidade, no entanto super poderoso e necessário.

Quanto antes se iniciar a ordenha de leite materno, melhor para iniciar a produção. Ordenhando o leite, ele também fica disponível para o bebê se alimentar, o que se torna essencial para sua recuperação.

Perguntas e respostas sobre como iniciar e manter a produção de leite de um bebê prematuro:

1. Quando começar a ordenha?

Imediatamente após o parto, assim que você se sentir disposta. Quanto antes iniciar a ordenha, melhor.

2. A quantidade faz diferença?

No início, talvez não saia nenhum leite, mas este estímulo é importante para que o corpo materno entenda que precisa iniciar a produção de leite. Em breve começará a sair o colostro, que é em pouca quantidade mas muito importante e depois de alguns dias, o leite materno mais abundante surge.

3. Qual é a melhor bomba?

Se o bebê prematuro já esta consumindo o leite materno ordenhado, talvez seja interessante investir em uma bomba que te permita ordenhar as duas mamas ao mesmo tempo, para além de ajudar no estímulo, conseguir ordenhar de forma mais confortável.

A ordenha manual também funciona quando a mãe aprende na prática. No hospital, se houver banco de leite, geralmente as mães usam as bombas do hospital, em casa, se a ordenha manual for complicada, ter uma bomba de ordenha, ainda que não seja elétrica, pode ajudar muito.

4. Com que frequência a mãe deve ordenhar?

De 8 a 10 vezes por dia: até que a oferta esteja bem estabelecida, é importante ter pelo menos oito boas sessões de ordenha em 24 horas. Dez sessões por dia é melhor, especialmente se você teve gêmeos ou múltiplos. Evite passar mais de 5 horas sem ordenhar nos primeiros dias.

5. Ordenha noturna de leite é necessário?

É preciso fazer ordenha pelo menos uma vez durante a noite enquanto o bebê estiver ausente nos primeiros dias e/ou meses, principalmente se você perceber que a quantidade esta diminuindo.

Quando você ordenha leite materno pelo menos uma vez a noite, ainda que nesta ordenha não tenha saído muito leite, o estímulo ajuda a produção de leite aumentar, principalmente durante a manhã.

6. Por quanto tempo ordenhar leite em cada sessão de ordenha?

Se o bebê não esta apto para mamar no peito ainda:

  • Nos primeiros dias, antes do leite “descer”, ordenhar com as mãos é muitas vezes, a maneira mais eficaz de ordenhar o colostro.
  • Um bomba de ordenha dupla por 10 -15 minutos por sessão de ordenha serve para uma estimulação adicional.
  • Uma vez que o leite mudou de colostro para um leite mais abundante, ordenhe por 25 a 30 minutos por sessão e por 2 – 5 minutos após as últimas gotas de leite para estimular as mamas.

Se o bebê já consegue mamar, mas não consegue esvaziar as mamas ainda:

  • Usar uma bomba dupla por 10-15 minutos após a mamada do bebê pode ajudar muito. Se você não tiver, ordenhe com a bomba que tem disponível as duas mamas.
  • Tente esvaziar o peito o máximo possível em cada sessão de ordenha. Para garantir que a bomba remova uma boa quantidade de leite da mama, continue a ordenhar durante 2-5 minutos após as últimas gotas de leite.
  • Use massagem mamária antes do bombeamento e massagem e compressões durante o bombeamento para melhor esvaziar os seios e aumentar a saída de bombeamento.

Dicas adicionais quando se tem um prematuro internado:

Tente descansar e relaxar o máximo que você puder. Ainda que seja difícil, quanto mais relaxada você estiver, mais fácil será ordenhar o leite para seu bebê.

Faça contato pele a pele com seu bebê prematuro. A prática ajuda os bebês a se recuperarem mais rápido, regula seus hormônios de produção de leite te ajudando a produzir mais leite.

Um estudo mostrou que as mães de bebês hospitalizados que tiveram sessões de relaxamento guiados ou com música suave durante a ordenha tiveram um aumento na produção de leite. Quando a mãe ouviu uma gravação que incluiu música e relaxamento guiado ao ordenhar, além de olhar fotos de seu bebê, a produção de leite aumentou ainda mais.

Neste estudo, as intervenções levaram as mães a produzir 2-3 vezes mais que a produção de ordenha normal. O teor de gordura de leite também aumentou para essas mães nos primeiros dias do estudo. Referência: Keith DR, Weaver BS, Vogel RL. The effect of music-based listening interventions on the volume, fat content, and caloric content of breast milk-produced by mothers of premature and critically ill infants. Adv Neonatal Care. acesso: link do estudo

Ter um bebê prematuro internado é desafiador e envolve muitas lutas diárias vencidas, mas não desanime. Busque apoio familiar e profissional caso a carga emocional seja grande demais para você e não hesite em pedir também a ajuda de profissionais de aleitamento materno para traçar estratégias de amamentação frente a sua realidade pessoal.

Leia também:

 

Referências:
Furman L, Minich N, Hack M. Correlates of lactation in mothers of very low birth weight infants. Pediatrics. 2002 Apr;109(4):e57.
Meier PP. Breastfeeding in the special care nursery. Prematures and infants with medical problems. Pediatr Clin North Am. 2001 Apr;48(2):425-42.
Hill PD, Aldag JC, Chatterton RT. Initiation and frequency of pumping and milk production in mothers of non-nursing preterm infants. J Hum Lact. 2001 Feb;17(1):9-13.
Hill PD, Aldag JC, Chatterton RT. Effects of pumping style on milk production in mothers of non-nursing preterm infants. J Hum Lact. 1999 Sep;15(3):209-16.
Bier JA, Ferguson AE, Morales Y, Liebling JA, Archer D, Oh W, Vohr BR. Comparison of skin-to-skin contact with standard contact in low-birth-weight infants who are breast-fed. Arch Pediatr Adolesc Med. 1996 Dec;150(12):1265-9.


Like it? Share with your friends!

169 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
1
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)