Tempo de leitura deste artigo:4 minutos

A amamentação na primeira hora de vida também é conhecida como a hora de ouro.

Pois sim, nada melhor do que chegar ao mundo com as boas vindas da amamentação na primeira hora de vida e receber além de um colo amoroso materno, o leite na temperatura ideal e com todos os nutrientes que irão fortalecer o bebê a partir de então.

Ué, mas se o leite não desceu?

O bebê vai tomar o colostro e colostro também é leite!

Independente do tipo de parto, normal ou cesárea, a amamentação na primeira hora de vida pode ser praticada e é muito importante para a mãe e para o bebê. Um bebê que nasce saudável tem plenas condições de ir para o colo da mãe para mamar assim que nasce.

Com esta prática é estabelecido o contato pele a pele, aumentando o vínculo e o inicio da amamentação.

Esta prática não é moda e nem mesmo pouco importante, muito pelo contrário, em países não desenvolvidos amamentar na primeira hora de vida pode ser primordial para o sucesso da amamentação e até mesmo para a sobrevivência do bebê.

A rotina do hospital pode esperar.

Se mãe e bebê estão clinicamente estáveis, todo o procedimento do hospital pode esperar. Pesar, lavar, separar o bebê precocemente da mãe após o nascimento além de dificultar o processo de amamentação, ainda são vistos atualmente como procedimentos que podem esperar pelo menos por 1h após o nascimento. O banho já é completamente desnecessário, o bebê nasce com o vérnix caseoso (aquela camada branca) e ele nada mais é do que uma hidratação natural para que a pele se adeque a nova realidade, saindo do estado líquido constante para o seco. Ou seja, um hidratante baby. Ainda possui ação antibacteriana, além de auxiliar na termorregulação, ou seja, ajuda a regular a temperatura do corpo do recém-nascido. 😉

A Organização Mundial de Saúde (OMS), em conjunto com o Fundo das Nações Unidas UNICEF e o Ministério da Saúde recomendam a amamentação na primeira hora de vida como fator protetor à mortalidade neonatal.

Um estudo publicado pela UNICEF, feito em Gana na África, revela que, bebês amamentados no primeiro dia de vida diminuem em 16% o risco de mortalidade neonatal, e essa taxa aumenta para 22% para os bebês que são amamentados na primeira hora de vida.

Amamentar na primeira hora de vida do bebê oferecendo o potente colostro, mais conhecido como a vacina da natureza, diminui os riscos de infecções, dá ao bebê anticorpos da mãe imediatamente após o nascimento, o contato pele a pele adequa a temperatura do bebê e aumenta sua glicemia, além de deixar o bebê calmo e tranquilo. O que faz com que ele chore menos do que a maioria dos bebês.

Resumindo: colo e leite materno, a receita da felicidade na vida dos bebês.

O programa de incentivo ao aleitamento materno acontece nos hospitais conhecidos como “Hospital Amigo da Criança” promovido pela Unicef e OMS, desde 1990. Estes hospitais com o selo de amigo da criança seguem os Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno e a hora de ouro ou amamentação na primeira hora de vida é o quarto passo.

Os hospitais amigo da criança são em grande maioria da rede pública de saúde, no entanto, caso você não encontre um hospital que siga estes passos, em seu plano de parto precisa estabelecer que deseja amamentar na primeira hora de vida a avisar toda a equipe médica que irá te acompanhar com antecedência.

O contato imediato pele a pele do binômio mãe-bebê é um momento decisivo do ponto de vista fisiológico e psicológico. Este contato vai estimular ainda a produção de ocitocina e a contração do útero fazendo com que o leite (aquele que vem depois do colostro) desça mais rapidamente. As bactérias maternas presentes na pele da mãe neste momento começarão a colonizar a pele do filho, lhe dando uma nova defesa.

Entre ir para uma fria balança, ser cutucado e furado, tomar um banho sem jeito e rápido como o que as enfermeiras costumam dar com pressa, (chega deste desespero), que todos os bebês sejam recebidos no melhor lugar do mundo, saindo de um ambiente quente e acolhedor para outro o mais próximo possível, cheio de calor, cheiro e amor de mãe: o colo.

Leia também:

 

Deixe um Comentário

comments