Tempo de leitura deste artigo:5 minutos

Sabe aquela pochetinha de mamãe que não vai embora nem com reza brava? Ela pode ser uma diástase abdominal pós-parto.

A Diástase abdominal pós-parto é um afastamento dos músculos da barriga causado tanto pela quantidade que a barriga cresce durante a gestação quanto pelo ganho de peso excessivo, musculatura frágil ou sedentária e as vezes, ela pode ser causada inclusive pelo excesso de exercícios físicos.

diástase abdominal pós-parto

O fato é que a maioria das mães acabam com aquela indesejável barriguinha saliente no pós-parto, mesmo depois de perder peso, ela continua lá. Flácida e saliente, as vezes caída. E até seu umbigo fica estranho, estufado para fora e raso. Eu sei, é o terror materno.

A diástase rompida pode causar dores nas costas e nas pernas, nádegas, coxas e uma protuberância no meio do abdômen quando se senta ou está de pé.

Como saber se você tem?

  • Deitada no chão, flexionar o tronco levemente a 45 graus.
  • Nessa posição, você poderá sentir um pequeno “buraco” no meio do abdômen, separando os dois lados da musculatura da barriga.
  • Verifique quantos dedos cabem nesse vão e assim saberá a gravidade da sua diástase.
  • Não faça essa manobra antes de completar seis meses do nascimento do bebê, pois o organismo precisa de um tempo para voltar para o lugar.

Um ou dois dedos é normal, fazendo exercícios físicos específicos a musculatura voltará ao normal. Três a quatro dedos fique atenta. Mas a melhor forma de saber com certeza é fazer um exame de imagem, eu fiz uma tomografia da região do abdômen e isto me deu a quantidade exata de afastamento.

Meu filho tem 4 anos eu só descobri que tenho uma diástase abdominal de 3,5cm na barriga a alguns meses, após fazer a tomografia. Sim, a maioria das mães não se dão conta que o problema é este.

Com a diástase abdominal, você não pode pegar peso, fazer exercícios como musculação, entre outros, pois, tudo isso pode aumentar o problema. E em casos muito graves, alguns de seus órgãos podem sair para fora da abertura dos músculos e causar algum estrangulamento do órgão, o que te leva para uma mesa cirúrgica imediatamente.

Alguns médicos aconselham uma cirurgia chamada abdominoplastia em casos graves. A verdade é que eu acho esta cirurgia invasiva demais e perigosa. E se tem uma coisa de que nós mães corremos mais do que tudo depois da maternidade é de correr riscos desnecessários.

Bom, pesquisando sobre a diástase abdominal pós-parto e percebendo que para eu tentar melhorar o problema eu precisaria de ajuda especializada e exercícios específicos, encontrei na internet a Dra. Beatriz que utiliza a técnica Tupler para tratamento de diástase.

Do que se trata a técnica Tupler?

A Técnica Tupler é um programa de tratamento que abrange todos os aspectos relacionados à diástase do músculo reto-abdominal. São exercícios específicos para o fortalecimento muscular do transverso e reto-abdominais, uma faixa para aproximação das bordas afastadas do músculo em questão, orientações posturais, exercícios de respiração e orientações sobre atividades do dia-a-dia e atividades físicas que você precisa adaptar para não ter recidiva ou recorrência dessa condição.

diástase abdominal pós-parto

Kit que você recebe em casa da Técnica Tupler

Falando em miúdos, trata-se de uma série de exercícios feitos com acompanhamento e uso de uma faixa específica para “segurar” a diástase durante o tempo de tratamento, aliado a uma maior consciência corporal que te ensina ao longo do tempo como melhorar sua postura, como respirar melhor e como manter os músculos do abdomen contraídos de forma correta e saudável.

Me dei a chance de testar já que não quero de forma alguma ter que fazer uma cirurgia.

E qual foi a minha surpresa quando ví que funciona? Estou na quarta semana de tratamento e números para mim falam mais alto do que qualquer imagem de antes e depois (sem contar que morro de vergonha de mostrar a barriga).

Perdi em 3 semanas de tratamento 5 cm abaixo dos seios, 5 cm na cintura e 5 cm em cima do umbigo e estou apenas começando o tratamento. Isto porque ele tem a duração de 18 semanas.

Cada semana tem um tipo de exercício e quantidade diferentes e eles vão mudando ao longo do tempo, conforme seus músculos vão se fortalecendo. A técnica não é para emagrecer, é para corrigir e fortalecer os músculos da barriga.

Se a diástase trata-se de um afastamento dos músculos, aliados a flacidez dos mesmos, os exercícios orientados da técnica Tupler certamente fortalecem os músculos e encurtam esta flacidez, logo, diminuindo ou fechando totalmente a abertura no centro da sua barriga.

Sim, minha pochetinha esta indo embora e minha cintura esta voltando a aparecer de novo! Recomendo a técnica.

A Dra. Beatriz mantêm um grupo de whatssapp com as pacientes e todos os dias eu vejo de perto as dificuldades, perseverança (porque não é fácil fazer todos os dias os exercícios – ainda que eles sejam simples e fáceis – e nem usar a faixa diariamente) e claro, os resultados das integrantes, o que nos anima todos os dias a continuar o tratamento e seguir firme.

>> Para conhecer mais sobre a Técnica Tupler da Dra. Beatriz, entre em contato com ela pela fanpage: Técnica Tupler ou no Instagram da Técnica Tupler.

Leia também:

Deixe um Comentário

comments