Tempo de leitura deste artigo:3 minutos

Ultimamente franquias cinematográficas vem dando mais espaço à mulheres como protagonistas e personagens fortes para o público, a força feminina de Star Wars é a personagem Rey.

Dois outros exemplos são Divergente e Jogos Vorazes que também tem mulheres com muita força e determinação nas tramas, mas hoje vamos falar de Rey, interpretada por Daisy Ridley em Stars Wars VII: O despertar da força, além de atuar maravilhosamente bem, ela tem grande espaço como uma personagem principal nesta nova trajetória Jedi.

Com um olhar marcante e cheio de garra, Rey consegue despertar nos fãs uma simpatia e vontade de torcer por ela.

Não era para menos, com espaço e história, personagens femininas podem demonstrar todo o talento que só precisa de um pouquinho de protagonismo para vir a tona.

A direção do filme é de J.J. Abrams que também escreveu o roteiro juntamente com Lawrence Kasdan, roteirista de O Império Contra-Ataca (1980) e O Retorno de Jedi (1983).

Ao lado de Finn (John Boyega), Han Solo (Harrison Ford) e o querido BB-8, Rey entra na história por uma força do destino que a coloca à procura de Luke Skywalker.

As franquias de Star Wars tiveram outras mulheres de destaque, como a Princesa Leia tão conhecida e querida por milhares de fãs e também sua mãe Padme Amidala.

De quem Leia herdou toda liderança e força no combate, mas hoje em dia, em um momento em que o poder feminino esta se mostrando cada vez maior e que as mulheres estão em busca de protagonismo e representatividade como nunca estiveram antes, ter personagens como Rey a torna uma representante de milhares de meninas e mulheres que são inspiradas pelo cinema e que sentem sua auto-estima elevada, ainda que no mundo da ficção.

Força feminina de Star Wars

Força feminina de Star Wars

Rey além de ser expert em luta e conhecimentos tecnológicos na trama, foge totalmente ao estereótipo da maioria das heroínas cinematográficas, ela não tem o corpo excessivamente exposto e nem é parecida como uma modelo impecavelmente linda, não que ela não seja linda, mas a beleza dela é do tipo “naturalmente linda”, o que ganha ainda mais pontos no filme porque a grande verdade, é que ser representada é muito gratificante, porém ser representada com uma beleza natural e sem excessos mentirosos é pra lá de especial.

O potencial e talento da personagem é então ressaltado.

Deixemos de lado o roteiro que nada mais é do que a continuação de uma saga com um enredo simples, deixemos de lado acontecimentos que nada tem a ver com a vida real e coincidências absurdas para amarrar a trama (que filme não tem isso?), quem é fã provavelmente não se importará muito.

Vamos olhar para Rey. Forte, determinada, cheia de garra, misteriosa, carismática e talentosa. Uma personagem incrível para o nosso universo. Por quê representatividade importa, sim! Que a força esteja com vocês!

Veja o trailer:

 

 

Deixe um Comentário

comments