Seu bebê está recebendo leite materno suficiente?

4 min


778 shares
leite materno suficiente

Saber se seu bebê está recebendo leite materno suficiente deve ser uma de suas principais preocupações quando volta para casa, não é?

E não ter leite materno suficiente é uma preocupação comum que muitas mães que amamentam compartilham. Uma mãe que oferece o leite no copo pode medir a quantidade exata de leite que seu filho está recebendo. Mas, se você está amamentando, não há um sistema de medição marcado em seus seios.

Então, como você vai saber se você está produzindo leite e se seu bebê está recebendo o suficiente em cada alimentação?
Enquanto você não pode ver e realmente medir a quantidade de leite em seus seios, certamente há outras maneiras de dizer se o seu bebê está recebendo o que ele precisa.

Sinais a observar para que você saiba que seu filho está recebendo leite materno suficiente.

O ganho de peso é o melhor sinal de que seu bebê está recebendo leite suficiente, no entanto, ele não é um fator determinante o tempo inteiro.

Nos primeiros dias de vida, é normal que um bebê amamentado perca até 10% do seu peso corporal. Após os primeiros dias, um ganho de peso consistente é a melhor maneira de confirmar que seu bebê está recebendo nutrição suficiente. Fique atenta, nem sempre o ganho de peso é um problema e as vezes você pode achar que seu bebê não tem ganhado peso, quando na verdade o ganho de peso esta normal. Veja aqui: ganho de peso de bebê: entenda mais.

Outros sinais a serem observados incluem:

  • Seu recém-nascido está fazendo a pega correta e mamando bem pelo menos a cada 2 a 3 horas, ou 8 a 12 vezes por dia.
  • Você está trocando fraldas molhadas (de xixi). Após o quinto dia de vida, seu bebê deve ter pelo menos 4 a 8 fraldas molhadas por dia.
  • Você pode ouvir seu bebê engolir enquanto ela está mamando, e você pode ver leite materno em sua boca.
  • Depois de amamentar seus seios ficam mais macios e não tão cheios como antes da alimentação.
  • Seu filho parece satisfeito e relaxado após a amamentação, e ele dorme entre os intervalos de mamadas.

Os movimentos intestinais são um sinal confiável de que seu bebê está recebendo leite materno suficiente?

O primeiro cocô que seu bebê vai fazer é chamado de mecônio.
É espesso, pegajoso e preto ou verde escuro. Os recém-nascidos têm pelo menos uma ou duas destas fezes de mecônio por dia nos dois primeiros dias. Então, depois que o mecônio vai embora, os cocôs do bebê se tornam amarelo-esverdeado ou amarelados e mais ralos, podendo ou não ter leite coalhado no meio como pontos meio brancos misturados.

Durante as primeiras semanas, seu bebê pode fazer dois ou mais cocôs por dia, mas após essas primeiras semanas, o padrão de fezes pode mudar. Cada bebê é diferente. Após cerca de um mês, é normal para um bebê ter uma fralda de cocô em cada troca de fralda. Mas, também é normal para um bebê evacuar uma vez a cada poucos dias ou mesmo uma vez por semana. O leite materno é a melhor nutrição e é facilmente digerido. Assim, para alguns bebês, não há muito desperdício e, portanto, menos fraldas sujas. Não se espante se o seu bebê que mama exclusivamente no peito ficar até 7 dias sem fazer cocô.

Picos de crescimento ou leite materno insuficiente?

Se o seu bebê mama bem e, de repente, parece querer mamar o tempo todo e parece menos satisfeito, pode não ser um problema com o seu fornecimento de leite materno. Pode ser apenas um pico ou salto de desenvolvimento. Veja aqui: Picos e Saltos de desenvolvimento no bebê

Todos os bebês são únicos e têm picos de crescimento em momentos diferentes. Alguns dos tempos comuns que recém-nascidos e lactentes podem ter um pico de crescimento são em aproximadamente dez dias, três semanas, seis semanas, três meses e seis meses de idade. Durante um pico de crescimento, uma criança mama muito mais vezes que o habitual.

Este aumento na amamentação geralmente dura apenas alguns dias, e é necessário para estimular o seu corpo a produzir mais leite materno para atender às necessidades nutricionais crescentes do seu bebê.

Recém-nascidos e bebês não dormem noites inteiras e acordar várias vezes durante a noite não significa leite insuficiente.

Durante os primeiros dois meses, seu bebê deve amamentar a cada duas ou três horas, mesmo durante a noite. Após dois meses, alguns bebês começarão a ter períodos de sono mais longos entre as mamadas da noite. Novamente, cada bebê é diferente, e enquanto alguns bebês vão dormir durante a noite aos três meses de idade, outros não podem dormir durante a noite por muitos meses. O mesmo padrão de sono é também verdadeiro para bebês alimentados com fórmula, e não é um indicador de que seu bebê não está recebendo leite materno suficiente.

Simplesmente porque o padrão de sono do bebê independe do fato dele mamar ou não no peito. Bebês que mamam no peito acordam a noite, bebês que toma fórmula também. Entenda mais sobre isto aqui: Amamentação noturna e o padrão de sono dos bebês

Quando se preocupar com um consumo ineficiente de leite materno?

  • Seu recém-nascido não está fazendo a pega adequadamente e esta ferindo seu peito.
  • Seu filho está muito sonolento e não acorda para a maioria das mamadas.
  • Seu pequeno tem a urina rosa, vermelha, muito amarela ou escuro, além de ser concentrada ou menos de seis fraldas molhadas no dia após o quinto dia de vida.
  • Seu bebê está chorando, sugando de forma irritada soltando e abocanhando o peito várias vezes, além de mostrar sinais de fome, mesmo com mamadas freqüentes.
  • Seu bebê solicita mamar o tempo inteiro (menos de 20, 30 minutos de intervalos) e demonstra sempre estar insatisfeito e irritado, não relaxa durante a mamada e nem depois dela.

Estes são alguns sinais de que seu recém-nascido pode não estar recebendo leite materno suficiente. Fale com seu médico ou com uma consultora de amamentação o mais rápido possível para que o bebê seja examinado e verificada sua técnica de amamentação. Quanto mais cedo você receber ajuda para quaisquer dificuldades que possam surgir, mais fácil será corrigir os problemas e conseguir amamentar adequadamente.

Leia também:

Fontes:
American Academy of Pediatrics. New Mother’s Guide To Breastfeeding. Bantam Books. New York. 2011.
Cadwell, Karin, Turner-Maffei, Cynthia, O’Connor, Barbara, Cadwell Blair, Anna, Arnold, Lois D.W., and Blair Elyse M. Maternal and Infant Assessment for Breastfeeding and Human Lactation A Guide for the Practitioner Second Edition. Jones and Bartlett Publishers. 2006.
Lawrence, Ruth A., MD, Lawrence, Robert M., MD. Breastfeeding A Guide For The Medical Profession Eighth Edition. Elsevier Health Sciences. 2015.
Riordan, J., and Wambach, K. Breastfeeding and Human Lactation Fourth Edition. Jones and Bartlett Learning. 2014.


Like it? Share with your friends!

778 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
1
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)