Repelente para Bebê: Pode Usar? Quais?

A maioria das mães querem evitar que seus bebês sejam picados por insetos de todos os tipos.2 min


repelente para bebê, Os primeiros mil dias do bebê

Repelente para bebê existe, mas deve ser usado com cautela e de acordo com o fabricante e pediatra do seu bebê.

Um repelente para bebê pode ser um fator a mais de proteção para o bebê que além de ser alérgico a picadas, esta exposto diariamente a locais que existem muitos mosquitos como os da Zika, Dengue, Chikungunya, entre outros.

>> Gestantes, crianças e lactantes podem usar repelente?

Segundo a Anvisa:

Tais produtos não devem ser usados em crianças menores de dois anos. Em crianças entre dois e 12 anos, a concentração dever ser no máximo 10% e a aplicação deve se restringir a 3 vezes por dia. Concentrações superiores a 10% são permitidas para maiores de 12 anos.

Embora a Anvisa indique o uso apenas para crianças acima de 2 anos e com limite de concentração, no mercado há disponíveis várias marcas que dizem poder ser usadas a partir de 6 meses.

>> Calendário de vacina infantil: saiba quais vacinas dar em seu filho

Por isso e devido a essa falha de consenso, é importante procurar o pediatra do bebê para que ele avalie quais são os riscos x benefícios de usar repelente para bebê com idade abaixo de 2 anos de idade.

Verifique sempre a embalagem do produto e seu nível de toxicidade antes de fazer a compra. Mesmo um produto infantil determinado como repelente para bebê, precisa ser verificado seu nível de toxicidade.

>> Vacina contra febre amarela para bebês e mães que amamentam

Existem muitos repelentes para bebê naturais, no entanto, os níveis de proteção são muito baixos.

Repelente de barreira

Repelente de barreira é o uso de outros métodos, que não seja em forma de produto para a pele, para proteger e afastar os mosquitos, o que se torna um tipo de repelente para bebê.

Uso de repelente infantil:

Bebês de 0 a 6 meses: devem usar repelentes de barreira como redes de proteção contra mosquitos, telas, roupas com mangas longas e evitar expor o bebê a locais que com muitos mosquitos.

Bebês de 6 meses a 2 anos: existem várias marcas infantis disponíveis no mercado e, o pediatra autorizando o uso, é preciso verificar o tempo de exposição e quantidade de vezes em que o produto é usado por dia para não se tornar tóxico para a criança.

Crianças de 2 a 12 anos: podem usar repelente infantil, segundo a Anvisa, mas sempre respeitando o intervalo de aplicação e nível de concentração: a concentração dever ser no máximo 10% e a aplicação deve se restringir a 3 vezes por dia.

Segundo uma pesquisa divulgada na Revista Paulista de Pediatria:

Os mosquitos são vetores de doenças infectoparasitárias que acometem, anualmente, milhões de pessoas no mundo e causam milhares de mortes. O combate aos mosquitos inclui medidas ambientais e de proteção individual. O uso de repelentes tópicos para proteção individual da criança exige cuidados específicos e conhecimento quanto ao produto ideal para cada idade, especialmente quando consideradas sua eficácia e segurança.

Veja abaixo a tabela dos repelentes disponíveis no Brasil, sua concentração e tempo de ação estimado:

repelente para bebe

Repelentes naturais

Repelentes para bebês em algumas marcas são feitos com produtos naturais, no entanto,  segundo a Anvisa:

Os “inseticidas naturais”, ou seja, produtos caseiros formulados à base de citronela, andiroba, óleo de cravo, etc. não possuem comprovação de eficácia nem a aprovação pela Anvisa até o momento.

Assim, velas, odorizantes de ambientes, limpadores e incensos que indicam propriedades repelentes de insetos não estão aprovados pela Anvisa.


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn
error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)