Blogueiras maternas, empreendedorismo e direitos autorais

6 min


Direitos autorais para blogueiras e social mídias
Direitos autorais para blogueiras e social mídias

Eu poderia começar este artigo também com o título “blogueiras maternas, exemplo para os filhos e direitos autorais”.

Na verdade os dois títulos se aplicam. Estou online a pouco mais de 2 anos, primeiro com o Projeto Mama Neném e agora com a continuação dele, o portal Mãe Pop. Entrei nesse “mundo online materno” de uma forma bem inocente no sentido de cópias e direitos autorais. Até então eu tinha familiaridade apenas com as leis do autor quando se tratava de criar um trabalho para uma agência de publicidade e em relação ao seu uso pelo cliente.

Nunca imaginei que blogueiras maternas copiassem tanto umas as outras a ponto de beirar o ridículo.

Com o Mama Neném fui imensamente copiada e reproduzida sem créditos ou link do meu trabalho. Simplesmente iam na minha página e achavam que ela era um banco de imagens “gratuito” para elas fazerem o trabalho delas. Desde “memes”, frases e artigos. As tirinhas do Mama Neném então, rodaram a rede e muitas tiveram a ousadia de retirar minha marca e colocar as delas. Não sabe de quais tirinhas me refiro? Veja aqui: As tirinhas ácidas sobre amamentação de Suelen Maistro

Este texto é para você, blogueira. E também para você que é um Social Media de empresa. Querem ser profissionais de verdade?

Eu sou profissional de comunicação a 12 anos. São longos 12 anos sabendo que não pode copiar trabalho alheio (fotos, ilustrações, textos, produtos), é lei com direito a processo e indenização. Aprendi na faculdade que imagens do google tem dono sim e que não devemos usa-lo para pesquisar imagens para nossos trabalhos. Para profissionais como eu isto é tão básico quanto 2 + 2 = 4. Dito isto, o que me abismou mais ainda são blogueiras que falam sobre maternidade e criação dando tanto mal exemplo na rede com este comportamento.

É o famoso “jeitinho brasileiro”. Se a pessoa não é criativa e não tem capacidade para escrever um artigo ou criar uma imagem, ela simplesmente COPIA e segue a vida como se tudo estivesse normal.

Me pergunto como estas pessoas conseguem viver com a realidade de depender da criatividade alheia para tocar o próprio negócio. Será que não dói pelo menos o ego?

Digo negócio porque hoje em dia estamos cansadas de saber que blogueiras maternas transformaram seus blogs em negócios online onde elas cobram para anunciar, fazer postagens sobre empresas e até mesmo quando ela diz que recebeu um presente da empresa tal, acredite: ela esta recebendo por isto.

E não tem nada de errado nisto, se ela paga pelo que usa também. Se uma blogueira cobra para anunciar em seu blog, porque ela pega o trabalho dos outros de graça? O que isto parece?

Pela Lei de Direitos Autorais isto configura uso indevido de propriedade intelectual e esta sujeito a penalidade. Eu não tenho problema em processar quem usa minhas ilustrações e artigos indevidamente e tenho um advogado especificamente que cuida destes assuntos para mim, afinal eu sou ilustradora e vivem tentando me copiar a anos.

Lido com isto o tempo inteiro e é bem desgastante. Mas sim, se uma simples conversa não faz a pessoa retirar minha imagem/artigo/fotografia do ar e parar de usar, eu processo sem medo nenhum de estar errada porque eu provo que sou dona de um trabalho facilmente.

Um ilustrador não precisa ter marcas d`água em suas imagens para provar que são dele. Ele tem o arquivo original. Ele criou o arquivo e as datas de criação dos arquivos são conferidas facilmente em um computador. Isto serve também para artigos e fotografias.

Se você é uma blogueira e precisa copiar artigos e imagens para o seu blog, reveja sua idéia de negócio, provavelmente você não nasceu para isto. Um mínimo você precisa criar. Se você escreve seus próprios artigos, você não precisa ilustrar, existem bancos de imagens gratuitos e bancos de imagens pagos onde você compra imagens ou baixa imagens.

plágio (substantivo masculino) 1.ato ou efeito de plagiar. 2. jur apresentação feita por alguém, como de sua própria autoria, de trabalho, obra intelectual etc. produzido por outrem.

copiar 1 Fazer a cópia escrita de; transcrever, trasladar: Copiar um discurso. Copiar do original essa poesia. 2 Reproduzir (falando de uma obra de arte): Copiar um painel. Copiou de um tipo ideal essa bela imagem. 3 Fazer a sua obra a exemplo de; inspirar-se de: Copiava-lhe as graças e os tons do estilo. "Da pintura copia a cor e o debuxo dos seus quadros" (Latino Coelho). 4 Imitar, plagiar.

Eu geralmente compro imagens em bancos de imagens, desde o Mama Neném e agora no Mãe Pop porque é onde tem as melhores fotografias. Os bancos de imagens gratuitos podem resolver as vezes, mas nem sempre eles tem uma boa imagem, precisa procurar bastante mas não é impossível de se achar. Ou, como eu ilustro e sou diretora de arte, para mim, criar uma imagem do zero para ilustrar um artigo é possível e faço isto muitas e muitas vezes para ilustrar meus artigos.

Dito tudo isto, atenção: não copie as pessoas, não use o google para buscar imagens, o google é um serviço de pesquisa online e não um banco de imagens gratuito, são duas coisas diferentes.

No google é para você apenas olhar, pesquisar e nada mais. Compre suas imagens, pesquise para escrever seus artigos, pesquise suas próprias pautas, isto sim é ser profissional. E se você esta pensando que comprar imagens não vale a pena, pense que vale evitar um processo, respeita o trabalho do profissional que criou e saiba que não existe empreendimento sem investimento, se o seu blog é sua idéia de negócio, nada mais normal do que investir nele.

O que é copiar o trabalho intelectual de outro para leigos:

  • Olha, que imagem legal no google, vou pegar e usar. (Você nem sabe de quem é. Se você não sabe de quem é e não entrou em contato com a pessoa para pedir autorização, não use, simples assim. Lembre-se: google não é para buscar imagens).
  • Olha, que legal este desenho nesta fanpage, vou pegar e colocar meu logo nele e compartilhar na minha fanpage. (Se esta numa fanpage você sabe quem é o dono, se a fanpage também não copiou. Olhe a página, veja se as postagens são parecidas e se a pessoa ilustrou o conteúdo e o criou, se sim: compartilhe diretamente da página, você não vai morrer e nem perder fãs se compartilhar outra página na sua se o conteúdo for realmente bacana, vale a pena porque você traz um conteúdo bacana para o seu público do jeito certo. Se a página copiou de outra pessoa, não compactue com esta atitude e busque o real dono para fazer do jeito certo e nunca altere a imagem tirando o logo do dono e colocando o seu, o trabalho não é seu, não poder ter a sua assinatura).
  • Que texto bacana, vou copiar e colar na minha fanpage ou criar um post novo no meu blog com ele. (Não pode, o texto não é seu, crie seus próprios artigos. Existem cursos de redação que te dão uma base de como escrever, se o blog para você é uma idéia de negócio, vale a pena se especializar).
  • Nossa, vou pegar essa imagem e colocar no meu impresso, cartão, blog, site e qualquer coisa minha porque achei legal. (Não pode também, continua sendo uso indevido de imagem).
  • Nossa que legal isso, vou fazer igual. (sem comentários aqui, né? Isto é coisa inclusive de pré-escola, colocar o papel por cima do desenho e reproduzir, também não pode).

E isto serve para empresas, pessoas comuns e todo tipo de gente que pensa em pegar trabalho de outra pessoa para se auto promover, mesmo para ser usado em coisas “gratuitas”. O fato de você estar fazendo uma coisa de graça como de ong, social, ou que você não ganha nada com isso, não lhe dá o direito de usar o trabalho de outra pessoa pra isso.

Quando eu comecei com o Mama Neném, eu sempre agi como profissional. Sempre levei a sério. Agir como profissional quando se trata de sites é seguir as leis de direitos autorais, criar conteúdo relevante que ajude as pessoas de alguma forma e criar ou comprar suas próprias imagens. Ter um compromisso real e valores. Veja aqui nosso manifesto sobre nosso conteúdo: Manifesto Mãe Pop: a essência que nos guia

Muitas blogueiras, quando comecei a reclamar e exigir que retirassem do ar meu conteúdo copiado, acharam um exagero. Exagero pra mim é falta de ética. Me perguntava o quê elas estavam ensinando para os próprios filhos ursurpando trabalho alheio em busca de cliques e mais audiência.

E do ponto de vista capital, pegar o trabalho de alguém e usar ele para se auto promover ou promover seu negócio (lembre-se que curtidas, compartilhamentos, cliques, acessos e seguidores são sua moeda de troca para se auto promover, vender seu trabalho e faturar com o seu blog) é o mesmo que você fazer aquela pessoa trabalhar de graça para você.

Um juiz sabe muito bem disto e quando este assunto chega ao tribunal, você terá que pagar de acordo principalmente com o dano que você causou ao profissional criativo, desde danos morais como danos materiais. Será que vale a pena começar assim? E o que você ensina para o seus filhos agindo sem a menor ética e respeito?

E a pergunta que não quer calar: Por quê quando o profissional dá um preço para o trabalho dele muitas acham “caro”, mas correm para copiar e se auto promover com aquele trabalho? Então o trabalho não tem valor quando a blogueira ou o social media precisa pagar por ele, mas tem valor para ser postado em seus blogs, fan pages e sites? Este comportamento é no mínimo desonesto.

Confira aqui: Leis de Direitos Autorais

Veja este vídeo explicativo:

 


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)