A verdadeira ajuda para uma mãe recém-nascida

2 min


3.4k shares
A verdadeira ajuda para uma mãe
A verdadeira ajuda para uma mãe

Uma mulher fragilizada física e emocionalmente deixa algumas pessoas a sua volta um pouco inseguras, elas querem ajudar, mas não sabem como. Outras acreditam saber exatamente o que fazer, mas podem estar um tanto equivocadas.

Após dar à luz, a mãe vive um período de turbulência que dura muito mais que quarenta dias. Ela precisa de apoio e atenção, mas às vezes até as mulheres que já vivenciaram o parto acabam enfiando os pés pelas mãos na hora de prestar auxílio, seja porque tiveram uma experiência diferente ou porque ficam abobadas com a chegada do bebê e esquecem-se de pensar em como a nova mamãe pode se sentir diante de certas interferências.

Como sempre temos uma filha, irmã, parente ou amiga prestes a ter um bebê, vale pena a ler esses conselhos inspirados nos ensinamentos da psicóloga Laura Gutman– retirados de seu livro “Mulheres visíveis, mães invisíveis” – para que nossa presença seja motivo de alegria e conforto na vida das novas mamães:

• Ao abandonar o útero, tudo que o bebê precisa é o colo da mãe. E salvo algumas exceções, tudo o que a mãe precisa é do bebê em seus braços. Interfira muito pouco nessa relação nos primeiros meses e deixe que mãe e filho se conheçam. Você terá bastante tempo para criar seu vínculo com a criança;

• A mãe precisa delegar todas as tarefas que não sejam essenciais à sobrevivência do bebê. Então, a não ser que ela solicite o contrário, procure ajudar com as atividades domésticas, as idas ao supermercado e questões financeiras. Permita que a mãe amamente, higienize, embale e acalme o bebê. Eles precisam estar conectados;

• Aceite a mulher que virou mãe sem questionar suas decisões ou dar sugestões que não foram solicitadas. Ela, com seu instinto materno, desenvolverá o seu modo de agir em cada situação. Lembre-se que cada mãe é única.

• Cada palavra mal dita, cada julgamento ou preocupação que afeta a mãe prejudicará a criança. Procure ser uma presença silenciosa e otimista. Elogie o desempenho da nova mamãe e direcione sua ajuda a ela, não ao bebê.

• O apego da mãe com o recém-nascido é visceral nos primeiros meses. É normal em alguns momentos a mãe se sentir invadida. Tome cuidado com os excessos. Procure visitar quando for convidada e não chegue sem avisar, segure o bebê apenas quando a mãe oferecer e seja paciente. No começo tudo isso pode ser frustrante, mas acredite, são as atitudes mais sábias que você pode ter.

Leia também:

 

 


Like it? Share with your friends!

3.4k shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
0
Uau
Gostei Gostei
0
Gostei
Amei Amei
0
Amei
Ouwn Ouwn
0
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)