Tempo de leitura deste artigo:5 minutos

Eu acho que venho repetindo esta informação sobre quando pode-se ofertar suco para bebê a pelo menos 3 anos.

Mas eu também não me canso de repetir, sem problema algum. No entanto, ainda não tinha escrito sobre o assunto para deixar registrado aqui no portal qual é a recomendação ideal para oferecer suco para bebê.

Antigamente, o bebê mal nascia e logo vinham com a chuquinha de chazinho, água ou suquinho de laranja, lembra?

Hoje em dia as coisas mudaram e a recomendação de suco para bebê, bem como chazinho e água também. Inicialmente vou esclarecer outra informação: até o sexto mês de idade, o bebê só deve tomar leite materno, SEM água, chás ou sucos. A amamentação é exclusiva. Então se o seu bebê tem 6 meses ou menos, suco para ele: nunca. Muito menos leite artificial sem indicação médica, pois ele pode ter alergias alimentares apenas por isto, ok?

Esta recomendação não é minha. É da Academia Americana de Pediatria, da Sociedade Brasileira de Pediatria, da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde.

Eu vivo me perguntando porque alguns médicos vão contra todos estes órgãos de saúde e até hoje não se atualizaram, continuando a dar informações para mães atuais lá do tempo da vovozinha. Não é estranho? Será preguiça?

Aposto que de cada 10 mães que lerem este artigo, pelo menos 6 ou 7 terão recebido a informação desatualizada. Vamos nos atualizar então?

Porque não pode mais suco para bebê menor de 1 ano de idade?

A oferta de sucos, ainda que sejam de frutas naturais esta associada com maior predisposição de ter na idade adulta diabetes e a ser obeso.

Veja aqui:  Suco de fruta pode aumentar risco de diabetes

Uma alimentação saudável começa no berço, desde a introdução alimentar. O ganho nutricional dos sucos é mínimo, dos chás zero. Quando uma criança aprende a comer a fruta in natura, além de desenvolver um hábito alimentar saudável e gosto pelas frutas, esta também consumindo TODAS as vitaminas e fibras que a fruta pode oferecer, diferente do suco que fica sem fibras, principalmente.

Então, seu bebê pode comer a fruta e tomar leite materno. Vai se hidratar, receber todas as vitaminas do leite materno que não tem no chá e nem no suco e ainda vai receber todas as fibras e vitaminas da fruta em sua totalidade. Que mãe não quer isso? Aproveitar de todos os benefícios que uma boa combinação pode fazer? A maioria quer.

O meu filho passou a tomar suco somente depois de 2 anos de idade, ainda hoje, ele gosta muito mais da água pura do que do suco. Come as frutas com gosto porque aprendeu desde cedo a comê-las em vez de trocá-las por um suco que perde nutrientes.

 

Olha o que o Ministério da Saúde diz sobre isto no Guia Alimentar Para Crianças Menores de 2 anos:

“As refeições, quanto mais espessas e consistentes, apresentam maior densidade energética (caloria/grama de alimento), comparadas com as dietas diluídas, do tipo sucos e sopas ralas. Como a criança tem capacidade gástrica pequena e consome poucas colheradas no início da introdução dos alimentos complementares, é necessário garantir o aporte calórico com papas de alta densidade energética.” (pg 23)

E a Academia Americana de Pediatria também faz recomendações sobre a quantidade de sucos que cada criança deveria ingerir:

Até 6 meses: não ofertar, pelos mesmos motivos explicados mais acima
De 1 a 6 anos: até 180 ml por dia.
De 7 a 8 anos: até 360 ml por dia.

Viu que a quantidade é bem pequena? É como um tira gosto, nada mais do que isso. Sucos de caixinha, gente: corram para as montanhas. Corantes, químicas e nada de fruta, é só o que tem nestes.

E a lancheira?

Vai com água. Água saborizada também pode ser uma idéia legal. Que tal? Mesmo porque, se o suco de caixinha é o pior dos mundos dos sucos, o suco natural perde o pouco que tem de vitaminas quando não é consumido nos primeiros 30 minutos.

Adulto pode se esbaldar nos sucos?

Poder até pode. A gente pode tudo, fazer bem é outra história. Até mesmo os adultos deveriam evitar o consumo de sucos, ainda que naturais e investir em frutas e água. Vai fazer bem para vocês também.

A mudança de hábito dos adultos começa no mercado, ok? E a das crianças, vem do berço.

Leia também:

 

 

Deixe um Comentário

comments