Tempo de leitura deste artigo:6 minutos

Você já parou para pensar em como ocorre a produção de leite materno?

A produção de leite materno pode ser um processo complicado de se entender, principalmente quando dizemos que peito é fábrica e não estoque.

Afinal, como ocorre a produção de leite materno pensando desta maneira?

A mama é uma glândula constituída principalmente por tecidos conectivos e gordurosos que apoiam e protegem as áreas produtoras de leite. Estas glândulas possuem os alvéolos que se parecem como pequenos cachos de uvas conectados uns aos outros. O leite é produzido nestes pequenos cachos. O leite viaja para os mamilos dos alvéolos até a boca do bebê.

O sucesso da amamentação não tem nada a ver com o tamanho de suas mamas ou mamilos. O tamanho do peito é uma característica hereditária e determinado pelo número de células de gordura que você possui.

Os seios aumentarão com gravidez e amamentação e é somente a partir da gestação que as mamas completam seu ciclo de desenvolvimento, amamentando ou não o seu bebê. A amamentação é um processo de oferta e demanda. Portanto, quanto mais você nutre, mais leite você produz!

O mamilo e a aréola (a área escura ao redor do mamilo) aumentam e escurecem durante a gravidez. Isso pode ajudar o seu bebê a fazer a pega corretamente, principalmente por ser um “alvo” claro e fácil.

A aréola possui os Tubérculos de Montgomery. Eles produzem um óleo natural que limpa, lubrifica e protege o mamilo durante a gravidez e a amamentação. Este óleo contém uma enzima que mata bactérias e torna os cremes mamários desnecessários.

Use apenas água para limpar suas mamas, principalmente durante a gestação e amamentação. Sabões, loções ou álcool podem remover este óleo protetor.

Cada bico possui os cânulos, que são como pequenos canos onde o leite pode fluir. Não há uma quantidade específica, cada mulher pode ter uma média de 4 a 18 cânulos em seu bico. A quantidade de cânulos não implica na quantidade de leite produzida ou ejetada.

Quando seu bebê mama, a ação do maxilar do bebê e da língua pressionando os seios do leite criam a sucção. Isso faz com que o leite flua para fora do seu peito e vá para a boca do bebê.

Como o corpo responde à sucção do bebê:

A amamentação estimula as terminações nervosas no mamilo e na aréola, que sinalizam a glândula pituitária no cérebro para liberar dois hormônios: prolactina e ocitocina.

Como o peito responde a sucção do bebê:

A prolactina faz com que seus alvéolos tomem nutrientes (proteínas, vitaminas, minerais, açucares, etc) do seu suprimento de sangue e os transformam em leite materno.
A ocitocina faz com que as células ao redor dos alvéolos se contraiam e levem seu leite aos ductos de leite da mama. Esta passagem do leite nos ductos é chamada de reflexo de “ejeção” (saída ou descida do leite).

A descida do leite é experimentada de várias maneiras, incluindo:

  • O bebê começa engolir ativamente o leite e você pode ouvir ele deglutindo.
  • O leite pode vazar no peito oposto.
  • Você pode sentir um formigamento em seus seios ou cólicas uterinas.
  • Você pode sentir sede.

Como o cérebro desempenha um papel muito importante na liberação de hormônios que fazem com que o leite seja ejetado, é muito normal que as sensações também ocorram em outras situações ou simplesmente você nem as note.

Se a descida do leite ocorrer em um momento inoportuno (como quando você esta fora de casa), cruze os braços sobre o peito ou pressione o calcanhar da mão sobre a área do mamilo e aplique uma pequena pressão até o vazamento parar.

Ejeção do leite no pós-parto

A liberação do hormônio da ocitocina durante a amamentação também fará com que o útero se contraía. Isso pode ser percebido mais facilmente se você já teve outros filhos. Este mecanismo ajuda o seu útero a retornar ao seu tamanho pré-gravidez rapidamente.

Uma variedade de fatores podem interferir a ejeção do leite (não sua produção):

  • Emoções como vergonha, raiva, irritação, medo ou ressentimento
  • Cansaço extremo (mais do que a mudança de rotina inicial com a chegada do bebê)
  • Pega inadequada na amamentação ou um posicionamento incorreto
  • O bebê está bem amamentado e não esta com fome (simples assim)
  • Estresse
  • Palpites negativos de parentes ou amigos
  • Dor em seus seios ou útero (ou seja, dores causadas pelo trabalho de parto ou cesárea)
  • Ingurgitamento mamário nos primeiros dias

Sugestões para criar um ambiente de amamentação saudável, eficiente e com apoio:

Encontre uma atmosfera pacífica para a amamentação. Antes de começar, desconecte o telefone, ligue uma música relaxante e respire profundamente. (Faça quatro ou cinco respirações abdominais profundas).
Se a amamentação em público te deixa desconfortável, busque sua privacidade sem problema algum.
Interaja com amigos e profissionais que apoiam a amamentação. Não permita que amigos e parentes por mais bem-intencionados, tenham atitudes diferentes que te desencorajem.
Restrinja os visitantes até ficar confortável.
Esteja em torno de outras mães que amamentam. Participe de uma aula de exercícios pós-parto ou grupo de apoio.
Certifique-se de que seu bebê esteja posicionado, esteja fazendo a pega corretamente e amamente em livre demanda.

Para que a produção de leite materno seja bem sucedida:

Evite o uso de bicos artificiais como chupetas, mamadeiras, bicos intermediários de silicone e não determine horários para as mamadas do bebê. O processo acontece de forma plena justamente quando estes fatores não fazem parte de sua história de amamentação e assim, evitamos ciclos de problemas na amamentação que interferem diretamente na produção de leite materno.

Leia também:

 

Deixe um Comentário

comments