Tempo de leitura deste artigo:6 minutos

Saiba porque esperar 6 meses para dar alimentos ao bebê com segurança

Neste artigo que traduzi do Dr. Sears, ele explica porque esperar 6 meses para dar alimentos ao bebê com 6 motivos importantes que te farão repensar a introdução alimentar.

6 razões pelas quais você deve esperar para apresentar alimentos sólidos ao seu bebê

* Artigo escrito pelo Dr. Sears, tradução livre e adaptação por Suelen Maistro

Antigamente mães alimentavam seus bebês com bolinhas de cereais em suas pequenas bocas as seis semanas de idade. Hoje em dia, os pais alimentam seus bebês em horários adequados para o bom desenvolvimento e nutrição do bebê. Não tenha pressa para introduzir alimentos ao bebê e aqui estão alguns bons motivos para você esperar:

1. O intestino do bebê precisa se desenvolver e amadurecer

Os intestinos são o sistema de filtragem do corpo, rastreando substâncias potencialmente prejudiciais e deixando nutrientes saudáveis. Nos primeiros meses, este sistema de filtragem é imaturo.

Entre quatro e sete meses, o revestimento intestinal do bebê passa por um pico de crescimento e desenvolvimento chamado fechamento, o que significa que o revestimento intestinal torna-se mais seletivo sobre o que absorver.

Para evitar que os alimentos potencialmente alergênicos entre na corrente sangüínea, os intestinos já amadurecidos secretam IgA, uma proteína imunoglobulina que atua como uma camada protetora, revestindo os intestinos e impedindo a passagem de alérgenos prejudiciais.

Nos primeiros meses, a produção de IgA infantil é baixa (embora haja muita IgA no leite materno), e é mais fácil para as moléculas de alimentos potencialmente alergênicas entrar no sistema do bebê. Uma vez que as moléculas de alimentos estão no sangue, o sistema imunológico pode produzir anticorpos contra esse alimento, criando uma alergia alimentar.

Aos seis e sete meses de idade, os intestinos são mais maduros e capazes de filtrar mais os alérgenos ofensivos. É por isso que é particularmente importante atrasar a introdução de alimentos sólidos se houver uma história familiar de alergia alimentar e, especialmente, atrasar a introdução de alimentos aos quais outros familiares são alérgicos.

2. Pequenos bebês têm um reflexo de língua-impulso

Nos primeiros quatro meses, o reflexo de impulso da língua protege a criança contra o engasgamento. Quando qualquer substância incomum é colocada na língua, ele a sobe automaticamente e a coloca para fora, em vez de voltar. Entre quatro e seis meses, esse reflexo diminui gradualmente. Não só o final da boca do trato digestivo do bebê não está pronto para a introdução de alimentos sólidos com antecedência, como nem mesmo a parte inferior.

3. O mecanismo de engolir do bebê é imaturo

Outra razão para não se precipitar na introdução de alimentos sólidos é que a língua e os mecanismos de deglutição ainda não estão prontos para trabalhar juntos. Dê uma colherada de comida a uma criança com menos de quatro meses, e ela irá movê-la aleatoriamente em sua boca, empurrando uma parte dela de volta para a faringe, onde é engolida, uma parte dela nos grandes espaços entre as bochechas e as gengivas, e alguns avançando entre os lábios e para fora em seu queixo.

Entre quatro e seis meses de idade, a maioria dos bebês desenvolve a capacidade de mover o alimento da parte frontal da boca para trás, em vez de deixá-lo enrolar na boca e cuspir. Antes dos quatro meses de idade, o mecanismo de engolir do bebê é projetado para trabalhar com sucção, mas não com mastigação.

4. O bebê precisa ser capaz de se sentar

Nos primeiros meses, os bebês associam alimentação com uma ofensa. Alimentar é uma interação íntima, e os bebês geralmente associam o ritual de alimentação ao adormecer nos braços ou no peito. A mudança de um peito macio e quente para uma colher fria e dura pode não ser bem-vinda com uma boca aberta.

Introduzir alimentos sólidos é uma maneira menos íntima e mais mecânica de fornecer comida. Isso exige que o bebê se sente em uma cadeira alta – uma habilidade que a maioria dos bebês desenvolve entre cinco e sete meses.

Manter um bebê amamentado na posição habitual de aleitamento materno pode não ser a melhor forma de começar a introduzir alimentos sólidos, pois seu bebê espera ser amamentado e pode entrar em um “modo de rejeição alimentar”.

5. Bebês menores de 6 meses não estão preparados para mastigar

Os dentes raramente aparecem até seis ou sete meses, dando mais provas de que o bebê menor do que 6 meses é projetada para sugar e não para mastigar. Na fase pré-dente, entre quatro e seis meses, os bebês tendem a babar e a baba que você está limpando o rosto do bebê é rica em enzimas, o que o ajudará a digerir os alimentos sólidos que virão logo.

6. Os bebês acima de 6 meses gostam de imitar seus cuidadores

Cerca de seis meses de idade, os bebês gostam de imitar o que vêem, o que torna este um melhor momento para a introdução de alimentos sólidos. Eles vêem você levar a comida a boca, curtir o sabor e mastigar. Eles querem pegar um garfo e fazer o mesmo.

Então porque esperar 6 meses para dar alimentos?

Por que além de não existir pressa, existem razões médicas descritas pelo Dr. Sears para não se introduzir alimentos antes dos 6 meses e esperar com calma pode ser essencial justamente para o sucesso da introdução alimentar do bebê.

Não tenha pressa, seu bebê terá uma vida inteira para gostar de comer e aprender a comer de uma forma saudável e feliz. O momento de descoberta de novos sabores e possibilidades de alimentação deve ser uma experiência agradável para o bebê e ela não será agradável se ele não estiver preparado para isto.

Leia também:

Deixe um Comentário

comments