Tempo de leitura deste artigo:5 minutos

A perda de apetite com um ano de idade costuma assombrar mães o tempo inteiro.

Isto porque esta perda de apetite com um ano de idade não costuma ser bem vista e muito menos esperada. Aquele bebê que antes comia bem, de repente, muda o padrão de alimentação, então o que fazer?

A grande questão é que a diminuição de apetite com um ano de idade é normal e faz parte da realidade da maioria dos bebês que chegam nesta idade.

De repente, você se depara com uma situação onde seu bebê começa a se tornar mais seletivo do que sempre foi, recusa alimentos, escolhe outros. Aquilo que costumava ser favorito para o bebê, não é mais.

Você se pergunta se ele realmente conseguirá parar em pé com apenas algumas poucas colheres de comida por dia e as vezes, comendo apenas o almoço e não a janta e vice-versa.

A princípio é importante saber que além da falta de apetite, sintomas como palidez, letargia, cansaço o tempo todo e uma criança prostrada, precisa urgentemente consultar o médico, pois, isto realmente não é normal.

Criança que esta bem é ativa, feliz, brinca o dia todo. É o famoso: “não pára quieto”. “não sei de onde vem tanta energia”.

Então veja, há uma grande diferença entre uma criança picky eater, a redução de apetite após um ano de idade e uma criança que esta doente e por isso não come. É importante perceber as diferenças.

Saiba mais sobre os pick eaters aqui: Picky Eater: criança seletiva para comer

Perda de apetite com um ano de idade: por que isso acontece?

Um criança com um ano de idade ou mais não precisa se alimentar com tanta frequência do que quando era um bebê. O apetite se reduz porque a taxa de crescimento se reduz.

Bebês crescem rápido.

Em pequenas diferenças de poucos meses, eles engordaram quase o dobro do peso e cresceram muitos centímetros e para que isso aconteça eles precisam mamar bastante. Crianças não podem dobrar o peso corporal em poucos meses, correto? Senão elas se tornariam obesas e gigantes.

Imagina um bebê de 1 ano de idade dobrando o peso de 10k para 20k até 2 anos. De 20k para 40k até os 3 anos. De 40k para 80k até os 5 anos. Isto não pode acontecer. Então, sabiamente a natureza reduz o apetite das crianças para que elas tenham um ganho de peso e crescimento adequado para o seu desenvolvimento normal.

E é por isso que não é aconselhado obrigar os filhos a comer. Eles sabem de quanto precisam e indicam para nós quando estão satisfeitos. Assim como na livre demanda ele indicou o tempo inteiro, porque ele faria diferente agora?

Como a criança entre 1 e 2 anos, tende a crescer em média 7cm durante um ano inteiro e ganhar em média de 1300g a 2200g durante este mesmo ano, para estar dentro da média saudável, a criança precisa se alimentar com 1000 a 1400 calorias por dia, de acordo com o site KidsHealth.

Expectativas alimentares dos pais

A expectativa alimentar dos pais costumam ser acima da média do que uma criança realmente precisa. Geralmente os pais esperam que a criança coma um prato cheio de tamanho médio e se você pensar no tamanho do estômago dela, perceberá que é demais.

As vezes interpretamos esta diminuição normal de apetite com “falta” de apetite e são duas coisas diferentes.

Se você fizer o exercício de criar uma lista e anotar nela tudo que seu bebê come e depois fizer as contas de calorias, verá que ele comeu mais do que você percebeu no dia. O importante é que seu bebê se alimente de forma saudável e que você continue oferecendo variedades de alimentos para ele de forma tranquila e respeitosa.

Além de tudo que já foi dito, é importante pensar que seu bebê pode estar ocupado demais para comer, por mais estranho que isto te pareça.

O mundo se abre, eles se tornam exploradores natos, aprendem a andar e com tantas novidades, quem quer parar para comer, não é mesmo? Para resolver isto, já que seu bebê realmente não deve ficar sem se alimentar, tente criar opções alimentares saudáveis que ele possa pegar com as mãos para comer em potinhos.

Segundo o Dr.Sears, crianças desta idade geralmente comem melhor quando não tem a obrigação de ficarem paradas em uma mesa sentada e continuam ativas.

Causas médicas da perda de apetite para ficar atenta:

Como dito anteriormente, há diferenças entre um ajuste normal de apetite e uma criança que não come por estar doente, caso seu bebê apresente estes sinais, converse com o médico:

  • Palidez,
  • Falta de energia,
  • Prostração (criança que só fica paradinha e deitada),
  • Desânimo (não é normal uma criança desanimada, não é mesmo?),
  • Outras doenças como gripes, resfriados e infecções podem diminuir o apetite da criança.

Leia também:

 

Deixe um Comentário

comments