Tempo de leitura deste artigo:5 minutos

Os 270 dias da gestação mais os 730 dos dois primeiros anos de vida, mais conhecidos como os primeiros mil dias do bebê, são a chance que os pais tem de influenciar o desenvolvimento dos filhos e ajudá-los a se tornarem adultos mais saudáveis.

Em teoria a receita é simples: proteção, aconchego e alimentação saudável são os itens básicos para que os primeiros mil dias do bebê  o influenciem positivamente pelo resto da vida.

A idéia bastante poética e romântica a respeito da criação dos filhos e da forma que coloca os pais como agentes de mudança no sentido de serem de fato relevantes até mesmo na vida adulta do filho é sensacional e ganha cada vez mais adeptos, desde os pais que são os experts na criação com apego e disciplina positiva até aqueles que dão valor a alimentação saudável como alimento também da alma, e eles estão mais do que certos.

Quando se trata da alimentação saudável nos primeiros mil dias…

  1. Gestação com alimentação balanceada e equilibrada
  2. Aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de idade
  3. Introdução alimentar saudável livre de industrializados, guloseimas, doces, pacotes, latas, em geral.

Basicamente: frutas, verduras, legumes, grãos e tudo que vem da terra pra mesa diretamente.

A nutrição adequada reduz o risco de desenvolver na idade adulta obesidade e doenças cardiovasculares, atestam estudos populacionais conduzidos em cinco países em desenvolvimento (Brasil, África do Sul, Guatemala, Filipinas e Índia), além de um melhor desempenho intelectual.

O que mais influenciou o acúmulo de gordura não foi a duração do aleitamento, mas a precocidade da introdução de outros alimentos na dieta da criança”, afirma Victora, professor da Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, e da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

Marina Rea, do Instituto de Saúde (IS) de São Paulo, e Ana Maria Corrêa, da Universidade Estadual de Campinas, verificaram anos atrás que as crianças que recebiam mamadeiras e outros alimentos nos primeiros meses de vida consumiam até 50% mais calorias que o ideal (veja a Pesquisa FAPESP nº 123).

Das dificuldades…

As dificuldades com a amamentação exclusiva passam por uma série de fatores, desde a falta de informação das mães a respeito dos benefícios do aleitamento materno exclusivo, a volta ao trabalho, políticas públicas que não ajudam a mãe com uma licença maternidade adequada e apoio das empresas com salas de amamentação e ordenha, até com o fato de muitos médicos não respeitarem a recomendações da OMS a respeito da alimentação infantil, inserindo precocemente alimentos na dieta do bebê.

Veja os artigos sobre volta ao trabalho: Volta ao trabalho e amamentação.

Nos dois primeiros anos a criança ainda tem oportunidade de crescer acima da média e se tornar um adulto saudável se, além da amamentação adequada, receber imunização e boa assistência à saúde, diz o epidemiologista.

Victora chama esta fase importante na vida do bebê de “mil dias de oportunidades”, pois os órgãos ainda se encontram em formação: os ossos estão se alongando, os músculos se fortalecendo e o cérebro ganhando volume (atinge 70% do tamanho final no segundo ano).

Antigamente acreditava-se que os problemas de saúde eram desencadeados por ações imediatas e próximas a idade adulta, hoje sabemos que uma série de problemas de saúde tem seu gatilho iniciado enquanto ainda estamos no útero de nossa mãe, isto significa que práticas alimentares saudáveis desde a gestação e nascimento vão fazer diferença na idade adulta e hoje podemos tentar diminuir a incidência destes problemas antecipadamente.

Proteção e aconchego, fatores também muito importantes…

Fortalecer vínculos, dar carinho e afeto ao bebê, fazendo com quê ele se sinta protegido e aconchegado no seio materno e familiar é um dos fatores também fundamentais que tornam os primeiros mil dias tão importantes.

Aqui a amamentação também esta presente porque além de alimentar o bebê, fortalece o vínculo afetivo com a mãe, o consola e protege em momentos de tensão, medo, dor, choro e estresse.

A criança que desenvolve uma base emocional sólida, tende a ser mais segura no futuro. Brinque, se faça presente na vida do seu bebê. Além de estimular a criatividade e o desenvolvimento cognitivo, as brincadeiras promovem a interação da família, de modo que a criança se sinta mais segura e amada.

Um tipo de criação que acaba englobando todo o conceito dos primeiros mil dias do bebê é a famosa Criação com Apego, pois ela possui todas as bases e princípios que garatem não apenas os primeiros mil dias, mas toda uma vida de oportunidades de vínculo fortalecido, saúde física e emocional.

Veja o que já falei sobre ela aqui: O que é Criação com Apego e seus 8 princípios.

E um sonho para os primeiros mil dias do bebê: tudo que o Dr. José Martins diz, se transformando em realidade…

Leia também:

 

Deixe um Comentário

comments