Tempo de leitura deste artigo:4 minutos

Quando a mulher decide ter um filho ou mesmo quando é surpreendida com uma gravidez, começa a se inteirar sobre tudo que gira em torno da maternidade, principalmente quando se trata do primeiro filho.

Tudo é novidade! Inicia-se a fase de planejamento com alimentação, vacinas, exames e a nova vida que esta por vir. Na rua parece que só nos deparamos com gestantes ou mães já com seus filhos no colo, nas vitrines só nos atraem roupas infantis, quartos de bebês e afins, nossas leituras passam a ser dicas de amamentação, como acalmar o choro, como lidar com as cólicas e por ai vai. Certamente quem esta a espera de um filho já tem aflorado o poder de doação que se desenvolve rápida e descontroladamente. Abrimos mão de tudo por um filho.

Na consulta do pré-natal a preocupação da mãe é com o filho, se esta bem, se esta no peso certo, se evoluiu dentro do esperado para a fase, e depois disso, lembramos de tirar aquelas dúvidas sobre uma dorzinha aqui ou ali, que nos acompanha há semanas, sobre as dificuldades de dormir, os enjôos, se estamos ou não dentro do peso “ideal”.

A questão do peso adquirido na gestação, já que hoje existem parâmetros do que seria o ganho ideal, gera entendimentos diversos e as dicas de beleza e cuidados estão cada vez mais em evidência. Com a gestação a mulher passa a se alimentar de forma ainda mais saudável, pelo filho e para evitar o ganho excessivo de peso, faz atividades físicas (autorizadas pelo médico) e passa óleos ou cremes para gestantes lambuzando o corpo todo, para auxiliar na elasticidade da pele e evitar as estrias.

Neste período, assiste na televisão ou olha em meios eletrônicos e nas capas das revistas e lá estão as famosas (pouco tempo após o parto) com abdomens sarados, pele firme, cabelos vistosos e muitas imaginam que com elas também será assim, quando para a grande maioria não é. Claro que a genética, o biotipo e a facilidade de ganhar e perder peso influencia, mas não podemos nos agarrar as exceções, já que na maioria das vezes o inchaço e a flacidez vão acompanhar a mulher por um tempo.

Por isso é ideal que todas saibam, que cada mulher é diferente, cada corpo é diferente, cada organismo responde de maneira diferente e quem realmente cultua o corpo perfeito, com tudo no lugar, ou sobrevive da imagem, vai arrumar tempo depois da maternidade e correr atrás disso, sem pressão ou comparação.

A maternidade é um momento feliz, único, mas é um momento delicado para a mulher que em meio a um turbilhão hormonal, o tempo reduzido de sono, a recuperação do parto, a adaptação à amamentação, o filho para cuidar geralmente em tempo integral acaba ficando com sua autoestima aquém do normal.

Dessa forma, este texto não serve para preocupar nenhuma mãe de primeira viagem, nem para estabelecer o que é certo e errado em termos estéticos, mas sim para prepará-las para as duas faces da moeda: a da recuperação do pós-parto e das alterações do corpo, de forma rápida e despreocupada e a da recuperação mais lenta e trabalhosa.

Então, não se preocupe se o vestido de antes da gravidez não fechar o zíper, ou se aquele jeans que você amava não subir, você não precisa provar nada a ninguém, você só precisa dar tempo ao tempo, que tudo vai voltando ao normal e alguns anos depois, tudo é superação e deixa muita saudade.

A reflexão que fica é que sejamos saudáveis para acompanharmos todas as fases dos nossos filhos, e que cada uma saiba eleger o que é ideal em termos estéticos, sem comparações, sem pressão e sem julgamentos, dando o direito de cada mulher decidir o seu padrão de beleza. Boa sorte, curtam a maternidade e sejam felizes!

Leia também:

Deixe um Comentário

comments