Mamoplastia e amamentação: é possível amamentar depois de uma cirurgia nos seios?

3 min


281 shares
Mamoplastia e amamentação

Algumas mães ficam com medo destas duas palavras juntas: mamoplastia e amamentação.

Principalmente quando elas fizeram uma cirurgia plástica nas mamas, a insegurança surge sobre a capacidade de amamentar e a mamoplastia e amamentação parecem duas coisas que não podem caminhar juntas. Calma.

É possível amamentar tendo feito cirurgia nas mamas na maioria dos casos, desde redução ou aumento. Alguns casos precisarão de acompanhamento dos profissionais médicos e de uma consultora de amamentação experiente, outros não.

Em alguns casos a mãe irá precisar complementar seu leite, mas ainda assim, ela sempre poderá amamentar. Sempre primeiro que a oferta do complemento, esperando o bebê esvaziar as mamas e depois ofertando o complemento.

Em outros casos, a mãe irá amamentar normalmente sem ajuda de complemento algum, conheço várias histórias de amamentação exclusiva mesmo com cirurgias de redução de mamas.

1. Cirurgia para aumento das mamas: Coloquei silicone, vou conseguir amamentar?

O aleitamento materno é totalmente possível quando a cirurgia realizada foi feita para aumentar as mamas com silicone. O silicone é implantado por trás das mamas e geralmente não interfere na amamentação.

Unicamente e raramente em casos que houve a lesão de vasos, nervos e ductos lactíferos, é possível que ocorra a diminuição de produção. Então a complementação com leite no copinho para o bebê se torna necessária. Ainda assim, a mãe continua amamentando e esvaziando toda a mama, oferece o complemento sempre depois. Estes casos são raros e não representam a realidade da maioria das mães que colocaram silicone.

2. Cirurgia para diminuição das mamas: Fiz redução mamária, vou conseguir amamentar?

A mãe que fez a redução de mamas, costuma sempre pensar que não conseguirá amamentar. Mas, se houve preservação dos vasos sanguíneos, da inervação e dos ductos galactíferos, ou seja, se foram seguidas as regras e modernas técnicas de cirurgia redutora, a função da mama para produção de leite esta mantida e ela pode sim amamentar.

Suspeitando ou não do uso de uma boa ou má técnica de cirurgia em seu caso, a mãe deve sempre iniciar a amamentação normalmente. É importante que esta mãe esteja acompanhada de um profissional de aleitamento materno para checar os sinais de produção de leite, ejeção, drenagem de leite, ganho de peso do bebê e satisfação do bebê.

Ainda assim, as histórias de mães que fizeram redução mamária sobre amamentação são em grande parte dos casos de mulheres que obtiveram sucesso para amamentar seus filhos.

3. Cirurgia pós-câncer nas mamas: Retirei uma das mamas, vou conseguir amamentar com a que tenho?

É possível amamentar apenas com uma mama ou apenas com parte de uma mama funcionando. As células alvéolares existem em abundância, sendo por isso que geralmente sobra leite nos primeiros dias ou o peito pode encher tanto que fica ingurgitado.

A maioria das mulheres não usam toda a capacidade de produção de suas mamas quando amamentam. Verdade!

Por isso que a perda de parte das células produtoras em uma cirurgia não costuma ser um empecilho para se amamentar.

Mais:

E quando a questão é interna?

Cirurgias plásticas em grande parte do caso são motivadas pela vontade de se sentir bem consigo mesmo, como no caso de se colocar silicone ou reduzir mamas (apesar da redução também ser feita por uma questão de saúde, quando as mamas são grandes demais).

Com a auto estima abalada pelo tamanho das mamas, algumas mulheres se sentem melhor depois da cirurgia e isto favorece sua vida nos aspectos sexuais, afetivos, sociais e profissionais. Todas as conquistas se tornam menos árduas quando a auto-estima é forte.

No entanto, com a mudança de formato das mamas durante a gestação e no pós-parto com a apojadura, pode ser que a mãe sinta sua auto estima abalada novamente e esta preocupação atrapalhe a ejeção do leite (não sua produção).

Bem como o medo constante de não conseguir amamentar devido a cirurgia feita nas mamas e falta de confiança em sua própria capacidade.

Mais:

Então veja, o único problema nestes casos é a confiança materna em si mesma e em sua capacidade de nutrir o filho.

Nestes casos não há relação física que impeça a amamentação. Fique atenta, o leite começa a ser produzido em sua cabeça, não em seu peito. Uma mãe confiante de suas capacidades, bem informada e preparada para chamar uma consultora de amamentação assim que achar que precisa dela, tem as maiores chances de ter sucesso na amamentação, independente de sua condição física.

Leia mais:


Like it? Share with your friends!

281 shares

What's Your Reaction?

Uau Uau
1
Uau
Gostei Gostei
1
Gostei
Amei Amei
1
Amei
Ouwn Ouwn
1
Ouwn

Deixe um Comentário

comments

error: Este conteúdo é protegido pelas leis de direitos autorais, não copie, compartilhe. :)