Tempo de leitura deste artigo:11 minutos

Amamentar é a maneira mais natural de alimentar um bebê, mas isso nem sempre significa que é fácil, pois muitas mães enfrentam algumas dificuldades durante a amamentação.

Existem muitos desafios ao longo do caminho, listei 16 dificuldades durante a amamentação que você pode ter, além de soluções para ajudá-la a corrigir a sua história de amamentação com seu bebê.

Se essas dicas não te ajudarem durante o processo, certifique-se de procurar ajuda especializada de uma consultora de lactação, um médico ou um banco de leite.

1. Meu bebê não pega o peito corretamente

Se você não consegue resolver a pega do bebê em casa sozinha, procure ajuda especializada. Uma boa pega garante que o bebê receba todo leite que precisa, não machuque suas mamas e mantêm sua produção de leite. Eliminar os bicos artificiais da história como a chupeta, fazer contato pele a pele com o bebê e tentar a laid back position pode te ajudar a fazer uma boa pega em casa.

2. Ele adormece no peito depois de alguns minutos.

Se o bebê se mostra satisfeito após a mamada e tranquilo, geralmente ele dorme. Mas as vezes bebês que não estão mamando o suficiente dormem mais do que o habitual em vez de chorar.

Se este for o seu caso, você pode ordenhar um pouco de leite na boca do bebê dorminhoco fazendo compressões na mama, que provavelmente ele vai acordar para mamar mais.

Mexer com carinho no queixo do bebê, retirar sua meinhas e diminuir a roupa que o deixa quentinho, pode fazer com que ele acorde para mamar mais e se aquecer (sim, mamar aquece o bebê)

3. Mamilos vermelhos, doendo entre as mamadas como fincadas e dores nas mamas.

Provavelmente é uma candidíase, conhecida também como monilíase ou popularmente chamada de sapinho. Hora de consultar o médico, chamar uma consultora em casa ou ir a um banco de leite.

A candidíase é uma infecção causada por um organismo de levedura chamado candida albicans . O bebê pode também ter esta infecção em sua boca, então ambos precisam do tratamento.

O tratamento geralmente dura mais de uma semana e precisa ser feito direitinho por todos os duas indicados, mesmo que os sintomas tenham desaparecido. O médico provavelmente irá receitar uma pomada para seus mamilos e gotinhas para o bebê. Algumas consultoras de amamentação tem obtido sucesso com tratamentos alternativos como a laserterapia, entre outros (estes, devem ser feito apenas por profissionais de lactação).

4. O bebê mama o tempo inteiro!

Bom, então isto significa que o seu bebê é perfeitamente normal. O tamanho do estômago do bebê é pequeno, se esvazia rápido e ele precisa mamar frequentemente. Junta-se a isso o fato do leite materno ser um alimento que é facilmente digerido (algo muito bom, para o sistema digestivo do bebê que esta em formação e não pode ser sobrecarregado). Então temos a perfeita ação da natureza para o bebê receber o que precisa constantemente que é o leite materno, mas isto também significa amamentar várias vezes de dia e de noite.

Imagine se você foi convidado a dobrar seu peso nos próximos seis meses, como um bebê precisa fazer. O que você teria que fazer? Comer muito.

O sinal de alerta é dado quando mesmo mamando muito, o bebê não ganha peso suficiente, aí algo na técnica de amamentação precisa ser observado. Se ele ganha peso bem, este é apenas o comportamento normal do seu bebê. 😉

5. O bebê está engolindo o leite de forma desesperada, parece sufocar, solta o peito várias vezes e sempre fica nervoso com o peito.

Algumas mães produzem mais leite do que seus bebês realmente precisam e muitas vezes o leite flui tão rápido e com força que o bebê parece desesperado para tentar dar conta de tanto fluxo de leite.

Esses bebês muitas vezes fazem cocôs verdes e espumantes.

Para reduzir o fluxo de leite muito intenso é preciso usar sutiãs firmes que sustentem bem as mamas, amamentar o bebê na posição Laid Back Position para que ele mesmo tenha controle do quanto de leite engole e você pode também alternar as mamas por mamadas: oferecer a mesma mama por 4h e depois alternar para a outra e oferecê-la por 4h, e assim sucessivamente.

Com o tempo, o corpo vai reduzir a produção de leite e adequar as necessidades do bebê, quando isto acontecer, você volta a amamentar normalmente.

Veja aqui: Produzir muito leite: hiperlactação é um problema para mãe e bebê

6. Mamas ingurgitadas

As mamas ficam duras, cheias de leite e parecem que vão explodir. Isto geralmente acontece nos primeiros dias de amamentação ou quando o bebê passa tempo demais sem mamar. Massagens vigorosas e ordenha manual resolvem o problema sem nenhuma outra intervenção. Além de colocar o bebê para mamar sempre que possível.

7. Mamilos fissurados ou rachados

Se suas mamas ficaram com os mamilos feridos, algo esta errado na técnica de amamentação.

A primeira coisa a se fazer é consertar a pega do bebê. Ainda não funciona? O problema pode ser com a anatomia da boca do bebê que restringe o movimento de sua língua e impede uma boa pega.

Ou você pode ter uma infecção ou fungo em seu mamilo, como a candidíase, que precisa ser tratada. Além de tratar o problema em si, é preciso descobrir a causa dele e resolvê-la.

8. Há um nódulo ou uma área dura no peito.

Há uma série de possíveis causas para isso, mas a cura é a mesma: fazer o leite fluir novamente nesta área. Tente posicionar o bebê de modo que o queixo do bebê aponte para a área sensível e dura e massageie o peito naquele ponto enquanto o bebê mama.

Se persistir, vá ao médico para fazer um ultrassom e descobrir se é apenas leite acumulado.

9. Área dolorida e vermelha no peito.

Um ducto obstruído que não foi resolvido ou um mamilo rachado ou fissurado às vezes pode se transformar em uma mastite ou uma infecção mamária como a candidíase comentada acima. Trate o ducto obstruído com mamadas freqüentes e massagem suave.

Se não houver melhora em 24 horas, ou se você tiver febre, será necessário consultar um médico para verificar uma possível mastite.

10. Ponto dolorido e branco na ponta do mamilo.

Isso pode ser causado por camadas de pele que se formaram sobre uma saída de leite e ficou leite preso atrás. Parece que há um grande grão de areia ou um pedaço de vidro preso no mamilo e realmente dói.

Mantenha a amamentação nesta mama, troque o bebê de posição algumas vezes para ver se ele mamando consegue desobstruir o leite.

A posição de amamentação cavalinho pode ajudar. Passar uma toalha de banho levemente em cima do ponto branco depois do banho pode ajudar a retirar a pele excessiva que se formou sobre ele. Se isto não resolver, consulte um médico ou chame uma consultora em casa.

11. Quando os mamilos ficam brancos depois da mamada.

O vasoespasmo é causado pela súbita mudança de temperatura quando o mamilo é movido da boca quente do bebê para o ar frio (a condição também é conhecida como Fenômeno de Raynaud).

O sangue flui do mamilo abruptamente (causando a brancura e a dor). Tente massagear a área para aquecê-la e trazer de volta o sangue para a região. Para casos graves, um medicamento de prescrição pode ser usado.

O Fenômeno de Raynaud as vezes pode surgir em momentos de estresse e dificuldades na vida. Se for este o caso, tente se acalmar e relaxar um pouco.

12. O bebê golfa ou vômita depois da amamentação. Ele está mamando o suficiente?

A maioria dos bebês golfam ou vomitam um pouco de leite depois das mamadas. Alguns fazem isso em todas as mamadas. Sempre que o bebê mamar apressado ou demais, ele vai voltar um pouco de leite e não tem nada demais nisso e você também não precisa reduzir as mamadas por isso.

Se o seu bebê é um golfador feliz, não sofre ou chora quando o leite volta e esta ganhando peso normalmente, não se preocupe. Logo isso passa, entre 3 e 5 meses.

Se o seu bebê sofre com os vômitos como se sentisse dor, mama angustiado e se jogando para tráz, ele não ganha peso suficiente e o vômito tem um jato tão forte que vai longe, ele pode estar sofrendo com refluxo e pra isso precisa consultar um gastopediatra ou o pediatra do bebê.

13. As mamas estão sempre “murchas”

Isto na maioria dos casos é uma boa notícia, pois significa que seu corpo ajustou sua produção de leite e não esta mais produzindo em excesso, mas o suficiente para o bebê mamar. É uma estratégia do seu corpo para te dar conforto no período de amamentação, já que ter as mamas sempre duras e cheias seria desconfortável.

O peito pode tomar uma forma mais macia e “murcha” como muitas mães dizem entre 6 e 12 semanas depois do parto, que coincide justamente com os 3 meses do bebê.

14. Meu filho está mordendo meu peito!

Em algum momento o bebê pode morder, como ele pode passar a amamentação inteira sem morder nenhuma vez. Seja gentil e apesar de doer ou te assustar, tente não gritar com o bebê para não traumatiza-lo ou tornar isto divertido para ele.

15. Meu bebê não quer mamar

As vezes o bebê pode fazer uma greve de amamentação e é importante não confundir isto com um desmame. Há bebês que passam alguns dias sem mamar ou recusando o peito e depois voltam a mamar normalmente. Isto pode acontecer por várias razões como por protesto por ter começando na escolinha, alguma dor quando é posicionado para mamar, nascimento dos dentes, entre outras questões.

16. O bebê esta irritado no peito, não faz a pega direito, solta o tempo inteiro e chora.

Se o bebê usa chupeta, mamadeira ou bico de silicone intermediário, esta pode ser uma das razões causada pela confusão de bicos. Para acabar com o problema é preciso retirar todos os bicos da vida do bebê.

Expliquei em detalhes como isto pode ser um ciclo de problemas em sua história de amamentação aqui: o ciclo de problemas causado pelo uso dos bicos artificiais e como resolver isto aqui: como retirar a chupeta do bebê gentilmente

Você tem algumas soluções rápidas de problemas de amamentação que podem ajudá-la a superar alguns dos desafios comuns de amamentação. Não achou seu problema nesta lista? Pesquise na lupa do site sobre o assunto ou vá ao menu: Amamentação >> Artigos de Amamentação.

Deixe um Comentário

comments