Tempo de leitura deste artigo:6 minutos

Receitas contra cólica devem ser uma das mais pesquisadas por mães diariamente.

Desde medicamentos contra cólica, até mesmo os famosos chazinhos fazem parte das possíveis soluções contra o “problema”. Afinal, porque nossa sociedade em certo momento se tornou tão neurótica com comportamentos normais e previsíveis do recém-nascido? Quem ganha ao relacionar tudo que o bebê sente com uma possível doença?

Para tudo hoje há um medicamento, uma receita milagrosa que promete simplesmente fazer o problema desaparecer. E se eu te disser que a receita mais simples contra cólica no bebê ou a possível cólica é justamente aquela que esta ao seu alcance todos os dias? o colo.

Já sabemos que o sistema digestivo do bebê esta em formação ainda após o nascimento, assim como uma série de outras coisas que estão se desenvolvendo nele diariamente. Já sabemos que justamente por isso, a introdução alimentar atualizada é iniciada após o sexto mês de idade, desconfie de qualquer médico que indicar antes. Veja aqui: Introdução alimentar com 6 meses de idade: a melhor opção

Já sabemos inclusive que a oferta de chás para bebês menores de seis meses é completamente contra indicada, por não oferecer valor nutricional algum e muito menos por não haver nenhuma comprovação científica que eles fazem efeito contra as temidas cólicas. Veja mais sobre isto aqui: Riscos do uso de chás para mães que amamentam, gestantes e bebês.

As razões para um bebê ter cólica podem ser varias. Desde a oferta de alimentos não aconselhados para a idade, introdução alimentar equivocada e antes da data, adaptação digestiva à alimentação, falta de colo até alergias alimentares.

No entanto, medica-se demais e observa-se de menos.

Porque seu filho tem cólica? Se ele tem menos do que 6 meses e toma apenas leite materno, a resposta provável é pelo desenvolvimento normal do sistema digestivo e outra questão a ser pensada é: Ele tem cólica ou precisa de colo? Mate esta charada em sua casa!

Se o seu filho esta na fase de introdução alimentar ou faz uso de leites artificiais, pergunte-se se uma destas situações tem causado as cólicas. Geralmente, são os bebês recém-nascidos que apresentam as cólicas até mais ou menos 4 ou 6 meses.

Você já se perguntou porque as cólicas de recém-nascidos existem e param de existir justamente quando a mãe pratica a exterogestação? Não sabe o que é isso? Veja este artigo, o leia atentamente e depois volte aqui para continuarmos esta conversa: Exterogestação, a gestação do colo

O pediatra Barry Brazelton descobriu que bebês da cultura Maya no México estão freqüentemente acordados, porém calmos e não verificou períodos de choro intenso. Em um estudo com 160 bebês da Coréia, um outro pesquisador chegou a conclusão que os bebês não tinham cólicas, não passavam pela hora da bruxa e sequer tinham picos de choro aos 2 meses.

O que as mães coreanas fazem para que seus bebês chorem menos e tenham menos cólicas?

  • Bebês coreanos passam apenas 2h por dia sozinhos ou 8,3% de tempo, enquanto os pequenos americanos passam 67,5% do seu tempo sozinhos.
  • Mães coreanas carregam seus bebês no colo 2x mais que as mães americanas diariamente, respondendo imediatamente ao choro.

Você já ignorou aquele chorinho de bebê achando que tudo bem? Pois bem, não ignore nunca. Atenda. Mesmo que seja para dar um pouco de colo.

A conclusão deste e de uma série de outros estudos é que o estilo de vida das mães coreanas ao dar colo e atender prontamente ao choro faz com que seus bebês chorem menos e tenham menos cólicas ou nenhuma.

Segundo os mesmos estudos, apesar do choro do bebê ser universal, como ele se manifesta é uma influência do meio em que o bebê vive.

Por mais que você esteja exausta e com muito sono, este período inicial após o nascimento do bebê pode também ser muito influenciado pelos seus hábitos e cuidados diários com o bebê. Como o quanto você como mãe consegue oferecer de colo para o bebê, por exemplo. A exterogestação já nos mostrou que manter o bebê perto do colo, no compasso de seus batimentos cardíacos o tornará mais calmo e o ajudará a enfrentar as novidades e desafios deste mundo novo.

Colo de mãe, o melhor lugar do mundo.

Mas precisa ser sempre o seu colo? Não amiga materna, somos humanas e cansamos, certo? Sem dúvida alguma que o bebê sempre prefere o colo da mãe, mas pode ser o colo de qualquer outra pessoa que tenha vínculo com o bebê e muito amor para dar. No caso do meu, ele só aceitava o meu colo, paciência. Virei zumbi por 4 meses ou mais, mas passou e eu sobrevivi. Pedi ajuda em outras coisas como na casa, roupas, comida para conseguir dar todo o colo que meu bebê precisava.

“Novas pesquisas mostraram que bebês ocidentais choram por mais tempo e até desenvolvem  a temida “cólica”, porque o estilo de cuidar que é culturalmente aceito é contraditório com a biologia infantil. Quando um bebê chora inconsolavelmente por horas, quando seu corpinho se arqueia em frustração, quando seus punhos dão socos no ar de raiva, vemos o exemplo mais claro de contradição entre biologia e cultura. O bebê está respondendo a um ambiente que foi culturalmente alterado e para o qual ele não está biologicamente adaptado.” –  Our Babies, Ourselves. Meredith F. Small.

Um bebê precisa de colo, calor e conexão

Este apego físico constante é necessário e importante. Jogue fora a idéia de que um bebê precisa ser independente, ninguém precisa ser independente nesta idade e nem muito mais anos a frente. Quando você de fato se tornou independente? Esqueça o berço, o bebê conforto, os carrinhos, se lembre do COLO e da livre-demanda.

A idéia de ter um bebê mais independente se apega ao fato de que isto dá mais liberdade a mãe e ao pai para poderem se dedicar também a outras coisas. Mas tudo depende do ponto de vista. Liberdade é ter um bebê calmo e tranquilo e não um bebê chorão que vive com a temida cólica por falta de colo, não?

A melhor receita para a cólica, é colo. Sem medo de “mal-acostumar”. E se fosse o caso, estar mal acostumando com amor só pode ser bom.

Leia também:

 

Deixe um Comentário

comments