Tempo de leitura deste artigo:4 minutos

Por que amamentar dá mais fome e sede?

Amamentar dá mais fome e sede porque o aleitamento materno exige muita energia da mãe, queimando calorias e esgotando sua hidratação.

Este gasto de energia é uma vantagem para seu bebê porque o esforço que o seu corpo tem para produzir o leite materno beneficia diretamente o bebê no recebimento da quantidade adequada de leite.

Estima-se que produzir leite materno leva 25% da energia do corpo. Isso significa que seu corpo está trabalhando muito para manter todas as outras funções que sustentam a vida. Portanto, não é de admirar que a carga extra fará que você sinta mais fome e sede.

Duas questões muito comuns sobre as mães que amamentam são: “Quantas calorias a amamentação queima e quantas calorias devo ingerir durante a amamentação?

A amamentação pode te fazer perder até 1.000 calorias por dia, dependendo da quantidade de leite materno que você está produzindo e ordenhando. No entanto, os especialistas recomendam que as mães que amamentam comam 300-500 calorias extras por dia.

Normalmente, isso coloca as mães em uma faixa de 1.800 – 2.200 calorias por dia. Ingerir menos calorias não irá interferir na quantidade do seu leite, mas te deixará mais cansada, fraca e até doente com anemia, por exemplo.

E não, estar com anemia também não interfere na quantidade e qualidade do seu leite. Mas é preciso tratar a anemia para não piorar o quadro, ok?

É claro que a nutrição deve ser avaliada individualmente, especialmente quando se trata de mães lactantes. Aquelas com mais reservas de gordura podem comer menos durante a amamentação. Aquelas com estilos de vida ativos podem precisar comer mais para acompanhar as demandas calóricas do dia em cima da produção de leite materno.

Ainda existe um exame pedido pelos nutricionistas que se chama “calorimetria”, ele diz quantas calorias por dia seu corpo realmente precisa. Eu fiz a algum tempo e me dei conta que eu consumia muito mais do que precisava.

Uma dieta saudável é ideal e importante para as mães, no entanto, mesmo aquelas com dietas deficientes podem produzir leite materno de qualidade para seus bebês.

Na medida do possível, mães que amamentam devem tentar comer alimentos ricos em nutrientes, incluindo grãos integrados, proteínas, frutas, vegetais e produtos lácteos com baixo teor de gordura.

Quando se trata de água, as recomendações são de beber para saciar sua sede.

Isto significa que se você sentir muita sede, vai beber muita água, se sentir menos sede, bebe menos água. Seu corpo vai indicar a quantidade pra você. Beber 4, 5 litros de água sem a menor vontade esperando que isto aumente seu leite é mito e as vezes pode fazer o oposto: diminuir a produção de leite materno, sobrecarregar seus rins causando outros problemas e não aumentar seu leite. Fique atenta.

 

Sinais que você não está bebendo água suficiente:

Quando você não bebe líquidos suficientes, pode ficar desidratado. A desidratação pode levar a constipação e outros sintomas. Se você tiver algum dos sintomas listados abaixo, você provavelmente não está bebendo água ou outros líquidos suficientes.

  • Sede
  • Boca seca
  • Urina de cor escura
  • Urinar com menos frequência
  • Tontura
  • Fraqueza
  • Fadiga
  • Dor de cabeça

A maior parte do tempo, seu corpo irá dizer o quanto você precisa comer ou beber durante a amamentação. Ouça seu corpo, ele é sábio.

Lembre-se: quando seu bebê passa por um salto de crescimento, seu corpo irá trabalhar ainda mais para produzir leite para satisfazer o seu pequeno e, portanto, você pode ter mais fome ou sede do que o habitual. Após o salto de crescimento, você provavelmente pode reduzir sua ingestão de alimentos e água de novo.

Então, amamentar dá mais fome e sede de acordo com as necessidades do seu corpo para atender as demandas do seu bebê. A natureza trabalha em conjunto para deixar mãe e bebê bem.

Referências:
American Academy of Pediatrics. New Mother’s Guide To Breastfeeding. Bantam Books. New York. 2011.
Dusdieker LB, Booth BM, Stumbo PJ, Eichenberger JM. Effect of supplemental fluids on human milk production. The Journal of pediatrics. 1985 Feb 1;106(2):207-11.
Lawrence, Ruth A., MD, Lawrence, Robert M., MD. Breastfeeding, A Guide For The Medical Profession Eighth Edition. Elsevier Health Sciences. 2015.
Ndikom CM, Fawole B, Ilesanmi RE. Extra fluids for breastfeeding mothers for increasing milk production. The Cochrane Library. 2014 January 1.

Leia também:

Deixe um Comentário

comments