Tempo de leitura deste artigo:4 minutos

Agrotóxico no leite materno? Calma lá, vamos aos fatos reais da notícia que é de 2015!

Hoje me deparei com uma página na internet promovendo a informação de que há agrotóxico no leite materno com uma imagem ilustrada de uma mãe com caveiras nas mamas.

A imagem é infeliz e a notícia é alarmante promovendo mais a desinformação e o desmame do que qualquer outra coisa.

Entre comer uma fruta com agrotóxico e não comer nenhuma, é melhor comer a fruta com agrotóxico. Entre tomar leite materno com todos os seus benefícios e não tomar ou substituir por leite artificial, melhor continuar no leite materno. Ainda que ele tenha “agrotóxicos” em sua composição.

Vamos aos fatos:

A notícia de um artigo de jornal de 2015 fala sobre nosso problema com a quantidade de agrotóxicos usados na alimentação e de fato, os números são alarmantes. Ainda, de lá para cá não vimos muitos avanços. Quando a notícia diz que a solução são os orgânicos, eles ainda hoje continuam custando de 4 a 5x mais do que o alimento contaminado. Sejamos honestos, que parte da população pode pagar por orgânicos?

Sobre o leite materno:

“A maioria das doadoras (95%) tinha, em média, idade de 26 anos, e 30% eram primíparas e residiam na zona urbana do município. Todas as amostras analisadas apresentaram pelo menos um tipo de agrotóxico analisado, conforme observado na figura 1.5. Observa-se que na maioria das amostras foi detectado mais de um tipo de agrotóxico. A frequência de detecção de cada agrotóxico é apresentada no quadro 1.6. Todas as amostras de leite materno de uma amostra de 62 nutrizes de Lucas do Rio Verde apresentaram contaminação com pelo menos um tipo de agrotóxico analisado.

Os resultados podem ser oriundos da exposição ocupacional, ambiental e alimentar do processo produtivo da agricultura que expôs a população a 136 litros de agrotóxico por habitante na safra agrícola de 2010.

Nessa exposição estão incluídas as gestantes e nutrizes, que podem ter sido contaminadas nesse ano ou em anos anteriores (PALMA, 2011; PIGNATI; MACHADO, 2011). Via Dossiê Abrasco

Então vejam a parte em quê eu marquei como rosa no texto acima. Exposição ocupacional significa que estas mulheres trabalhavam diretamente com o manuseio de agrotóxicos, além de estarem em um ambiente de alta contaminação no processo produtivo.

Não se trata das mulheres que vão ao mercado e compram uma fruta ou legume que foi exposto.

Pode ter agrotóxico no leite materno? Pode. A quantidade quando a mulher não trabalha diretamente com a produção agrícola pode ser diferente? Muito provavelmente é uma quantidade que não faz a menor diferença comparadas a quantidade de benefícios que o leite materno oferece.

Leite materno ainda assim é melhor do que leite artificial que é INTEIRO e TODO oriundo de um processamento industrial e químico.

Leite materno é melhor do que qualquer outro alimento para o recém-nascido, o bebê e a criança.

É mais fácil o leite de vaca e outros animais ter concentrações químicas como hormônios não autorizados, antibióticos, pus pelos animais estarem sempre doentes e outros químicos que desconhecemos do que o leite materno ser inadequado para o consumo de nossos bebês.

Cuidado com notícias cheias de alardes, com pouco conhecimento sobre o leite materno e seus benefícios e que não levam em consideração de onde vem as fontes de informações, as pesquisas e as notícias.

Ainda tem dúvidas da qualidade do leite materno? Então veja estes artigos:

Deixe um Comentário

comments