Tempo de leitura deste artigo:8 minutos

Sabe aquele ditado que diz que quando a gente cospe pra cima, é na maternidade que volta na testa? Listei 10 vezes na maternidade que essa frase fez todo o sentido.

Não tem jeito, mães geralmente acham que com elas as coisas vão ser diferentes e que muitas histórias contadas a respeito das dificuldades maternas são exagero, falta de educação dada ao filho e que com elas nada disto vai acontecer.

A verdade é que ser mãe é uma caixinha de surpresas cheias de desafios todos os dias e muitas vezes você acaba pagando a língua por ter olhado aquela outra mãe com cara de reprovação ou ter dito que “com seu filho ia ser diferente”.

Listei apenas 10 coisas na maternidade que nos fazem pagar a língua, mas existem infinitas situações que as mães podem compartilhar, ou na verdade, apuros que viveram de forma muito parecida com os filhos.

1. Meu filho não vai ver televisão, brincar ao ar livre é muito mais saudável!

Quem pensa assim tem toda razão! Além de saudável, torna as crianças mais criativas e felizes. A verdade é que não é todo dia que uma mãe esta disposta a sair de casa em busca de uma pracinha e muitas sequer tem uma por perto, as vezes a televisão entra em cena, principalmente quando a mãe precisa de um tempinho para pelo menos ir ao banheiro.

2. Criança que se joga no chão chorando em público é mal criada.

A maioria das mulheres que não são mães provavelmente já pensaram isso, mas a verdade é quem nem sempre uma mãe consegue controlar tudo o que o filho faz quando esta nervoso, cansado, com sono, com fome e principalmente quando não tem o que quer. O fato da criança estar fazendo isso já mostra na verdade que aquela mãe acaba de lhe colocar um limite e nem sempre eles aceitam isso da forma que um adulto aceitaria. O protesto faz parte, olhe para aquela mãe com empatia.

3. Criança que não cumprimenta os adultos é porque a mãe não ensina.

Eu era uma criança que não cumprimentava, sabe porque? Por que era extremamente tímida e só de pensar em fazer isso morria de vergonha. Esta língua não paguei porque me lembro bem da pressão que faziam para que eu fosse sorrisos e extroversão quando na verdade eu era introvertida e isso era muito difícil para mim. Não tem nada a ver com educação, mas sim com personalidade. Olhe para este tipo de criança com empatia.

4. Meu filho não vai ter brinquedos eletrônicos, apenas brinquedos educativos.

Sim, os educativos são os melhores e aqueles de madeira então? Montessorianos? Maravilhosos! Não há como negar, acontece que por mais que você como mãe só compre destes, os parentes e amigos vão dar dos outros e seu filho pode simplesmente amar e aí, vai fazer o quê? Tirar o brinquedo da criança é que não dá, né?

5. Eu nunca vou gritar com meu filho, que horror.

Amiga, as vezes escapa. Não tem jeito, mães vivem no limite, principalmente aquelas que não tem ajuda de ninguém em sua maternagem e as vezes elas perdem o controle e saem do sério, rola um grito ou outro sim. Depois precisa pedir desculpa para o filho, viu? Neste caso tentar usar a técnica de ir para outro quarto, se afastar um pouco e contar até 10, respirar fundo e tentar se acalmar, pode diminuir e muito estes tristes episódios. São fases, chega uma hora em sua maternagem que você começa a aprender a ser mais controlada nas crises e consegue respirar e pensar melhor sem perder o controle, mas até aprender, pode ser que uns gritos ali outros aqui escapem. O importante é não desistir de tentar fazer diferente.

6. Sempre darei comida saudável para que meu filho se alimente bem.

Não se deixe enganar por isso, porque dar comida saudável é louvável e o que devemos fazer para criar um bom hábito alimentar, mas as vezes nem assim a criança quer comer direito, não tem jeito. É dente, é sono, é estresse, é falta de vontade simplesmente. De repente eles fecham a boca e não querem mais saber e daí não adianta, não há alimentação saudável que salve. Veja mais aqui: Pick Eater, criança seletiva para comer

7. Meu filho não vai ser desses que chega na casa dos outros e sai mexendo em tudo!

Se o seu filho tiver entre 1 e 3 anos, nem sempre falar com ele será suficiente, eles simplesmente são curiosos por natureza nesta idade e vão querer mexer nas coisas, não é algo controlável e que eles tem consciência que de fato não pode, geralmente é mais forte do que eles. Cabe aos pais tentar distrair a atenção do pequeno para outras coisas e nem sempre eles irão conseguir, acontece.

8. Meu filho sempre vai dormir antes das 21h

A gente sempre paga a língua nessa e olha que logo cedo, porque com poucos meses os bebês mudam o tempo inteiro o ritmo de sono e as vezes eles dormem cedo, as vezes tarde, não tem jeito. Ainda que exista uma rotina com o bebê, ele sempre vai te surpreender um dia ou outro na hora do sono. Leia mais sobre isso aqui: Amamentação noturna e o padrão de sono dos bebês.

9. Assim que der os 4 meses, coloco na creche e volto a trabalhar

Ahh, a inocência antes da maternidade é mesmo uma coisa não? Por mais que isso realmente aconteça, a mãe vai sempre chorando na volta ao trabalho, sofre horrores por deixar o bebê na creche e o bebê também acaba sofrendo um pouco.

Para quem antes da maternidade achava que essa fase seria a mais simples de todas assim como a frase saiu da boca, se surpreendeu porque de todos os pagamentos da língua, este é o mais doloroso. A separação do bebê tão cedo é bem sofrida para os dois.

Muitas desistem de trabalhar quando podem, outras vão com o coração na mão, na verdade, batendo fora do peito lá na creche. Veja o que já contei sobre isso aqui: Adaptação na creche é dolorida para mães.

10. Nossa, tem mãe que não deixa nem pegar no bebê dela ou dar beijo, com o meu vai ser diferente

E aí seu bebê nasce e você descobre na marra que quando ele fica passando de colo em colo, fica estressado, chora mais, não consegue dormir direito e depois sobra pra você segurar o rojão, então sim, muitas mães depois que o bebê nascem se dão conta que ficar passando de colo em colo irrita o bebê.

Sobre dar beijos, sinceramente, não se beija bebê dos outros, a saliva e suor, o perfume e hidratante podem causar alergias, roséola, passar gripe entre outras coisas para o bebê e se ele ficar doente, de novo, a mãe segura o rojão sozinha, então é perfeitamente normal que a mãe queira que lavem as mãos e não beijem seu recém-nascido.

Bônus de pagamento de língua:

Quando meu filho estiver na creche vou sofrer o tempo inteiro de saudade dele.
E aí, depois de passado o susto inicial com a adaptação, o bebê estiver super bem, cheio de amiguinhos e tudo mais, você vai respirar aliviada de ter algumas horinhas do dia só para você ou para se dedicar a outra coisa que não seja a maternidade em tempo integral, porque por mais que se ame até o infinito e do tamanho do mundo os filhos, mães são seres humanos que estão o tempo inteiro sobrecarregadas física e mentalmente, e merecem umas horinhas de descanso.

Leia também:

 

 

Deixe um Comentário

comments