Tempo de leitura deste artigo:7 minutos

Muitas mães trabalham em casa. E os números são surpreendentes! Segundo artigo do site Go Home:

“58% das mães empreendedoras atualmente trabalham em home office. O número de mães que abriram o negócio em home office é ainda maior – 76% – uma vez que algumas depois “migraram” a empresa para um espaço fora de casa… A maternidade foi o que levou 67% das mães que atualmente são empresárias a abrir o próprio negócio. Para 59% das mães, a maternidade trouxe a vontade de mudar de carreira” – Via GoHome.

Somos muitas! E ainda temos muitas dificuldades e barreiras para transpor, começando pelo período de adaptação e transição para uma atividade que demanda muito, embora não pareça. Quem trabalha em casa já sabe que home office é um desafio diário, ainda mais quando o cenário do escritório em casa divide espaço com brinquedos, restos de bolacha e um grudinho no pé.

Há seis meses, desde que comecei a trabalhar em casa tenho lido blogs, listas, livros e me organizando para conseguir aumentar e melhorar a minha produtividade. A primeira resolução foi sair do sofá office e durante essa busca, procurei inúmeras dicas e fatores que eram decisivos para trabalhar em casa. Condensei as minhas anotações em 10 pontos que hoje gostaria de dividir com vocês, dividindo assim os meus desafios de trabalhar em regime de home office, mas principalmente as minhas maiores dificuldades baseada nos principais itens que verifiquei e tento implementar na minha rotina, que acredito que possam ser também, as dificuldade de outras mães empreendedoras.
1. Ter o perfil. E é preciso mesmo! Nesse item eu preenchi todos os requisitos, pois sou auto-motivada, consigo trabalhar sozinha, tenho foco e sou muito disciplinada. Consigo usar o tempo em meu favor e não tenho preguiça para trabalhar. Isso é um ponto super positivo, pois o meu trabalho é muito divertido. (mesmo com alguns lapsos criativos).
2. Criar e seguir uma rotina. Ai começou a ficar complicado. Somente se NADA fora do comum acontecer, eu consigo cumprir as minhas metas e prazos pessoais. Mas garantir que a rotina seja linear e previsível tem sido impossível. Somente semana passada passamos por vacina dos 15 meses, febre, três dentes e uma virose…(complemente-se diarreia, bebê murchinho em casa, assadura, enfim…). No que ocasionou em uma semana completa que tive que parar praticamente para cuidar do pequeno. Então, esse quesito rotina, cumpro à risca, mas às vezes…
3. Fazer um week planner (plano semanal). Estipular metas semanais foi um dos passos fundamentais para que eu entendesse onde estava desperdiçando tempo e porque não estava conseguindo fazer tudo o que eu havia me proposto (e ainda não consigo nem 70%). Colocar no papel, bem à vista dos olhos, para que fique clara a sua linha de tempo e principalmente para que você consiga manejá-la de forma eficaz, afinal um dos privilégios de trabalhar em casa e de forma autônoma é que você tem o poder de  remodelar a sua agenda semanal.
4. Evitar improvisos. O local de trabalho é muito importante, pelo menos para mim. Preciso do meu canto, das minhas coisas. Sair do sofá foi fundamental. O espaço de trabalho deve ter uma base, MAS isso não impede que você carregue o seu escritório pela casa, se isso não te atrapalhar. Eu finalmente consegui organizar uma bela escrivaninha, com uns papéis maneiros, todas as cores de bic, post-its e coisas fofinhas, bem a minha cara e que trazem o aconchego do lar, mas também ajudam a firmar compromisso com o seu home office. No meu caso temos alguns improvisos, tipo uma canga indiana que faz o papel de cortina para o sol que me castiga depois das 14:30 e a cadeira que…nem vou comentar.
5. Ser realista e compromissado com os seus propósitos. Descobri depois dessa semana de estréia de “bebê doente”, com dentista, mais comprar moletom novo da escola (tudo em outra cidade) do filho mais velho, mil e uma outras coisas do lar e vida para viver, que não posso fazer tudo. Tudo é demais. Por isso resolvi rever os meus compromissos profissionais e descobri que não consigo mais fazer as coisas nas cinco horas que o bebê está na creche. Isso me leva para o próximo item.
6. Acordar mais cedo.  Preciso acordar mais cedo para fazer mais coisas. Mas confesso que ando exausta. Fisicamente exausta. Feliz, mas cansada. Meu bebê de 15 meses nunca dormiu noites inteiras e ainda não dorme, pelo menos uma assistência na madruga ainda. Embora ele acorde definitivamente ali pelas oito da manhã, eu precisaria acordar bem mais cedo, mas tenho tanto sonoooo. Então essa é uma meta que eu ainda não consegui e nem tive ânimo para implementar. Mas com a proximidade de um novo projeto para o próximo mês, vou ter que iniciar o processo obrigatoriamente.
7. Foco e pausa pro café. Fazer de uma a duas horas de trabalho bem focado, sem redes sociais e distrações, para intercalar com breves pausas para arejar! Focar e não me perder nos meus hiatos criativos, onde não consigo escrever nada, foi uma das minhas metas de início de ano que eu tenho conseguido com muito esforço e exercícios, cumprir quase que fielmente. Quando comecei a escrever e produzir conteúdos, tive a prova final e (fatal) de que para trabalhar nesse ramo se demanda 99% de muita transpiração e somente aquele 1% de inspiração. E confesso que ainda me sinto culpada nas pausas, porque o tempo URGE!
8. Sempre combata a ideia de que você não faz nada. As pessoas acham mesmo que você passa o dia de pijama, de pernas para o ar. Explique o que você faz, mostre o seu trabalho, mostre o valor do seu tempo.
9. Enquanto estiver no home office não se distraia com tarefas domésticas ou demandas dos filhos. Li esse item em mais de um site que tratava sobre otimização de tempo no home office e fiquei “encucada”. Por óbvio que a disciplina e a organização são fundamentais para o funcionamento eficaz do trabalho, mas não acredito que seja possível entrar 100% na bolha. É imprescindível estipular um limite e fazer com que fique bem claro para todos os integrantes do lar, que o seu trabalho é importante e você tem um horário de trabalho. Mas sejamos realistas! Mãe empreendedora, não se culpe por não conseguir ignorar o que ocorre à sua volta, a gente sabe que não é assim automaticamente possível. Cada mãe sabe das suas urgências e prioridades e PARAR de se culpar por não conseguir fazer tudo é o primeiro passo para que o trabalho flua melhor.
10. Não desista. Existem dias que não dá vontade de fazer nada, mas é preciso ser forte. Se estiver muito cansada e estafada, planeje um dia da semana e tire só para você fazer o que quiser ou praticar “nadismo”. Eleja o dia e se revitalize, mas não desista! Com o tempo a gente vai aprendendo a trabalhar em ritmo de home office, a gente vai se ajustando, acredite é um processo! Vamos melhorando as nossas metas e aumentando os nossos lucros (não cheguei nessa fase ainda). É preciso ver cada dia como um sucesso, uma superação, pois o trabalho recompensa, mesmo que a caminhada seja dura.
 
Coragem! Somos muitas e estamos juntas!
Go Girls!
Leia também:

Deixe um Comentário

comments